Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Gangue do Ozempic: dono de farmácia é preso suspeito de comprar medicamentos roubados

    Suspeito adquiriu remédios de quadrilhas envolvidas em ataques a drogarias

    Policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) prenderam dono de farmácia por armazenamento e venda de remédios de alto custo de forma irregular
    Policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) prenderam dono de farmácia por armazenamento e venda de remédios de alto custo de forma irregular Polícia Civil de São Paulo

    Maria Clara AlcântaraCarolina Figueiredoda CNN

    Em São Paulo

    Um dono de uma farmácia foi preso suspeito de armazenamento e venda de remédios de alto custo e de uso controlado de forma irregular na madrugada desta quarta-feira (17), em Guaianases, na zona leste de São Paulo. A suspeita é de que o detido adquiria os medicamentos, entre eles o de emagrecimento Ozempic, de quadrilhas envolvidas em ataques em drogarias.

    A prisão ocorreu após policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) receberem informações sobre uma farmácia que estava receptando medicamentos de alto valor roubados ou furtados e expondo os remédios à venda de forma inadequada.

    De acordo com a polícia, as caixas dos medicamentos estavam sobre um balcão na cozinha do estabelecimento, sem qualquer tipo de cuidado com a temperatura de armazenamento, o local estava sujo e repleto de lixo. Os policiais recolheram caixas dos medicamentos Rivotril, Ozempic, Venvanse, Durateston e Ritalina.

    No local, foram apreendidos uma grande diversidade de produtos, entre eles, remédios de emagrecimento, hormonais e psicotrópicos. O homem admitiu que comprou toda a mercadoria sem documentação de procedência e os vendia sem a receita médica.

    A prisão faz parte de uma ação do Deic que investiga quadrilhas especializadas em invadir drogarias e roubar medicamentos de alto custo. Na primeira etapa, a equipe desarticulou os principais operadores do esquema na questão dos ataques e agora o objetivo é identificar os receptadores.

    O dono da farmácia foi autuado por crimes contra saúde pública por fornecer substância medicinal em desacordo com receita médica e vender, expor à venda, ter em depósito para vender e entregar substância alterada para consumo.