Governo de SP aumenta horário de comércio até 23h a partir de sexta

A partir de 09/07, poderão funcionar até as 23h bares, padarias, shoppings, entre outros comércios

Camila Neumam, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (7), ampliação do horário de funcionamento das atividades econômicas em todo o estado. O horário de bares, restaurantes, padarias, shoppings, salões de beleza, academias de ginástica, entre outras atividades do comércio, serão ampliadas até as 23h a partir de sexta-feira (9).

A mudança envolve também o total de lotação permitida – 60% -, desde que se mantenha o uso de máscaras e medidas de higiene e segurança nestes locais, segundo o governo. 

Segundo o governo estadual, as novas regras estão previstas de 9 a 31 de julho, quando poderão ser revistas.

“Embora mantida a fase de transição, vamos ampliar o horário de funcionamento das atividades econômicas em todo o estado. A partir de 9/7, poderão funcionar até as 23h bares, padarias, shoppings, comércio. Com a queda dos indicadores da pandemia, podemos estender o horário de funcionamento dessas atividades. Aumento de ocupação permitida de 40% para 60%”, disse o governador de São Paulo, João Doria.

Doria afirmou ainda que haverá o adiantamento em 30 dias de doses da Coronavac para o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

O governador anunciou também que o governo receberá novo lote de 14 mil litros IFA – ingrediente farmacêutico ativo – que permitem a  produção de 20 milhões de doses de vacinas. E que o governo comprou quatro milhões de doses da Coronavac direto da Sinovac, na China,  com o objetivo de acelerar o programa de vacinação do estado. 

“As vacinas que chegarão hoje vão passar por um controle de qualidade, por isso ainda não temos um novo calendário para apresentar”, afirmou a epidemiologista Regiane Lopes.

Doria anunciou também o retorno de aulas presenciais do ensino técnico e em universidades públicas e privadas do Estado a partir de 2 de agosto.

O toque de recolher continua nas 645 cidades do Estado, com horário entre 23h e 5h a partir de sexta. A recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e o escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores dos setores de comércio, serviços e indústrias estão mantidos.

Programa de flexibilização prevê:

  • Antecipação da entrega de 100 milhões de doses da Coronavac para o PNI em 30/08
    Chegada de 12 mil litros de IFA em 14/07
  • Compra de 4 milhões de doses extras da Coronavac para a vacinação no Estado de SP
  • Ampliação de horários: a partir de 9/7, comércio, bares e restaurantes podem fechar às 23h, com aumento de 40% para 60% na capacidade de ocupação
  • Volta as aulas presenciais do ensino técnico e Superior a partir de 2/08, com 60% de ocupação (e 100% de ocupação para cursos de Saúde).
  • SP vai realizar 30 eventos de teste a partir de 17/7, com pessoas testadas e vacinadas

Eventos-teste

O governo estadual anunciou também um calendário de eventos teste que envolvem 14 eventos sociais, 12 eventos de economia criativa, dois eventos esportivos e dois eventos de negócios.

Entre os eventos já com datas marcadas estão a feira Campus Party, que deve ocorrer entre 28 de outubro a 2 de novembro; a Oktoberfest, de 25 de novembro a 12 de dezembro e a CCXP, de 15 a 20 de dezembro. O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 está previsto para 21 de novembro.

O evento mais recente, segundo o calendário, será uma feira de negócios na cidade de Santos, no litoral paulista, em 21 e 22 de julho.

“Todos os eventos são eventos modelo, que criam modelos de segurança, que criam acessibilidade apenas de forma segura, com exigência de vacinação completa, com testagem de antígeno em 24 horas, ou RT-PCR nas últimas 72 horas. Toda a estrutura garantindo distanciamento, distribuição farta de álcool gel e uso de máscaras, apenas dessa maneira poderemos voltar a ter estes eventos de forma responsável e segura”, disse Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do Estado de São Paulo.

 “Não é o momento de liberar geral. Estamos dando passos de forma segura, da maneira que a situação permite, em função do avanço dos indicadores e manutenção de medidas de segurança. Se houver qualquer necessidade de rever isso, será feito”, disse Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Covid-19 de São Paulo. 

O governador de São Paulo, João Doria, durante coletiva
O governador de São Paulo, João Doria, durante coletiva no Palácio dos Bandeirantes
Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo (18.jan.2021)

Mais Recentes da CNN