Governo do Rio abre licitação para a compra de freezers para vacina Pfizer

Equipamento tem capacidade de armazenamento de 70 graus negativos para receber os imunizantes

Thayana Araujo e Iuri Corsini, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia


 

O governo do Rio de Janeiro já está em fase de licitação para a compra de 50 freezers com capacidade de armazenamento de 70 graus negativos para as vacinas da Pfizer, uma das mais difíceis de condicionamento e logística. A informação foi dada pelo secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Chaves, à CNN, nesta segunda-feira (4). “O armazenamento da Pfizer é difícil. Abrimos licitação para a compra de 50 (freezers) mas não necessariamente compraremos os 50 de imediato. Vamos esperar o Ministério da Saúde liberar as vacinas e seus fabricantes para depois avaliar a necessidade de mais compras em caso de a Pfizer ser liberada”, disse.  

Chaves explicou que conservar a vacina Pfizer a 70 graus negativos demanda um freezer que não sai por valor abaixo de R$ 200 mil. “Há quinze dias estamos (governo) pesquisando, mas cada empresário coloca seu preço e os valores são altos para abastecer o estado com a quantidade necessária desses ultras freezers”, completou. 

Leia também:
Governo aposta em vacina de Oxford para uso emergencial
Vacinação: Rio vai ‘aguardar definição’ do Ministério da Saúde, diz secretário
Rio unificará dados sobre coronavírus para evitar ‘defasagem’ nos números

Vacina da Pfizer armazenada em freezer
Vacina da Pfizer armazenada em freezer
Foto: Marco Alpozzi/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo

Além dos freezers para armazenamento da Pfizer, o estado já começou o processo de compra de 163 câmaras refrigeradas que serão enviadas aos municípios fluminenses, para ajudar na montagem da infraestrutura local. O governo se prepara para receber as vacinas que serão distribuídas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), independentemente do fabricante. Caso o Ministério da Saúde adquira vacina da Pfizer, cuja logística é diferenciada, o governo confirma que estará equipado e pronto. 

A equipe técnica da Secretaria Estadual de Saúde trabalha na ata por sistema de registro de preço para a compra de 50 ultra freezers que funcionam a menos de 70 graus desde meados de dezembro. Caso a vacina da Pfizer não seja liberada e distribuída pelo Ministério da Saúde, os equipamentos terão utilidade para laboratórios, outros imunobiológicos e unidades que realizam transplantes. “Ainda que o Ministério da Saúde não libere a Pfizer, a compra não será em vão, vamos usar os freezers em setores importantes da saúde como Hemorio, Laboratório Lacen, responsável por testes de Covid -19 e para ajudar em pesquisas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.           

Para que a vacina Pfizer seja aplicada com segurança o imunizante precisa ser mantido num frigorífico de temperaturas ultrabaixas até seis meses ou até apenas cinco dias, entre os 2 e os 8 graus Celsius – um tipo de refrigeração comum nos hospitais. Após, a probabilidade de estragar é a mais certa.

O governo do estado já tem infraestrutura para armazenamento e distribuição de doses de vacina, pois faz seguidamente grandes campanhas de imunização contra a gripe e muitas outras doenças. A Secretaria Estadual de Saúde recebe ainda essa semana o segundo lote com outras oito milhões de agulhas e seringas e já iniciou a readequação de toda a sua estrutura de logística, inclusive as de armazenamento e distribuição das doses de vacinas que não necessitam da temperatura de conservação como o caso da vacina de Oxford, mais barata e fácil de armazenar.

Destaques do CNN Brasil Business
Focus: mercado reduz estimativas para inflação e crescimento econômico em 2021
Empresa liga mais de 80 vezes para cobrar dívida e é condenada a pagar R$ 5 mil
Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de hoje

Já a Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS-RJ) informou que está, junto com o Estado e o Governo Federal, avaliando e providenciando os locais de armazenamento e transporte das vacinas. Ou seja, ainda não há locais destinados para que sejam armazenadas as vacinas contra a Covid-19, quando estas estiverem disponíveis. Isso deverá ocorrer, conforme informado pela SMS, dentro de “alguns poucos dias”.

O Plano de Contingência do RJ prevê parcerias com Defesa Civil estadual, Corpo de Bombeiros Militar, Forças Armadas e de Segurança (Exército, Aeronáutica, Marinha, Polícias Federal, Civil e Militar); universidades e escolas públicas e privadas, associações de moradores, instituições religiosas, órgãos públicos como Detran, shoppings, aeroportos, entre outras estruturas.

Mais Recentes da CNN