Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Greve em SP: filas de ônibus têm confusão e trabalhadores atrasados

    Operações do Metrô e CPTM estão parcialmente suspensas durante paralisação de metroviários e ferroviários de São Paulo

    Duda CambraiaMarcos Guedesda CNN

    Os trabalhadores paulistanos que precisam utilizar o transporte público nessa terça-feira (28) encontram dificuldades de locomoção nos trechos paralisados do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

    Quem escolheu os ônibus municipais e intermunicipais se deparou com filas, longas esperas, superlotação e confusão.

    No metrô, as linhas 1 – Azul, 2 – Verde, 3 – Vermelha e 15 – Prata foram afetadas. Nos trens, as linhas 7 – Rubi, 10 – Turquesa, 11 – Coral, 12 – Safira e 13 – Jade foram prejudicadas pela greve.

    O frentista Josino Francisco dos Santos, que trabalha em uma transportadora, relata à CNN que teve que mudar a rota de deslocamento.

    “Muda a rotina, atrasa tudo. Tem superlotação e a gente fica estressado. Tudo isso por questões políticas, não favorece a gente. A fila do ônibus já está fazendo a curva. Ainda está cedo, mas daqui a pouco vai dobrar ou triplicar a fila”.

    O trabalhador José Cícero conta que estava sabendo da greve, mas mesmo assim decidiu ir até a estação na esperança de encontrar alguns trens circulando.

    “Eu avisei o chefe, tirei foto e mandei para ele. Não tem condições de ir para o trabalho hoje, é um dia perdido. Tenho que voltar para casa. Para voltar, eu tenho que esperar o metrô ou pegar um carro por aplicativo. E vai sair do meu bolso isso aí, porque a empresa só paga o vale-transporte”.

    Confusão nas filas

    A CNN flagrou pessoas sendo empurradas para entrar em um ônibus, que já estava lotado. Houve briga e gritaria na fila do Terminal Parque Dom Pedro, no centrp da capital paulista.

    Trabalhadores que estavam na confusão relatam que as pessoas estavam “furando fila”. “O pessoal espera na lateral e começa a furar todo mundo, e o fiscal deixa. É um desrespeito com a gente que está aqui na fila”.

    Em um momento, as pessoas se amontoam na porta do ônibus, tentando se espremer dentro do veículo, que já está na lotação máxima. A porta sequer consegue fechar. Mesmo assim, as pessoas insistem em entrar, porque precisam chegar ao trabalho.

    Nesse momento, um fiscal da SPTrans ajuda, segurando a porta para as pessoas entrarem. Um trabalhador que estava no local comenta “o pessoal nem se mexe lá dentro”. Outro, grita “bora, temos que trabalhar, todo mundo tem que chegar no horário”.

    Reforço na frota de ônibus

    A Prefeitura de São Paulo adicionou 200 ônibus às linhas municipais e promete circular com 100% da frota durante todo o dia de hoje (28). Geralmente, o número de veículos é reduzido fora dos horários de pico.