Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Greve em SP: ampliação da frota de ônibus pode ser insuficiente, diz Ricardo Nunes à CNN

    Em dia comum, rede municipal de transportes recebe 7 milhões de passageiros enquanto trens e Metrô transportam 8 milhões de pessoas

    Bruno LaforéJairo Nascimentoda CNN

    A cidade de São Paulo vai operar com 100% da frota de ônibus durante todo o dia de hoje (28), mas a Prefeitura acredita que a quantidade de veículos pode ser insuficiente para atender a demanda.

    De acordo com o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), geralmente, o número de ônibus em circulação no município é reduzido fora do horário de pico.

    Nunes afirmou que 200 ônibus foram acrescentados às linhas municipais nesta terça-feira (28). Num dia comum, ainda segundo o prefeito, 8 milhões de passageiros circulam pela rede de transportes sobre trilhos, enquanto 7 milhões de pessoas utilizam os ônibus da capital.

    “Por mais ações que você fizer, não vai conseguir fazer frente para suprir a quantidade de gente que usa Metrô e CPTM“. lamentou Nunes.

    Congestionamento superou a última greve

    O volume de congestionamento na capital paulista, em decorrência da greve dos transportes sobre trilhos desta terça-feira (28) está maior do que o registrado na manhã do dia 03 de outubro, quando servidores do Metrô, CPTM e Sabesp fizeram uma paralisação conjunta.

    As informações são do Prefeito de São Paulo, que acompanha o tráfego na cidade na central de monitoramento da SPTrans, empresa administradora do transporte público municipal.

    Por volta das 7h da manhã, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já registrava 228 km de lentidão nas vias da cidade.

    Nunes pede que empregadores realizem um escalonamento no horário de entrada e saída dos colaboradores: “se puderem contribuir, liberar os funcionários um pouco antes ou um pouco depois, fazer uma troca ali pra gente poder desafogar um pouco essa questão do transporte coletivo, pra fazer frente a essa situação caótica que a cidade vive hoje no trânsito com paralisação de serviços”.

    Reforço de equipes nas ruas

    O prefeito afirmou que elevou o número de agentes de trânsito nas vias da cidade, por causa da suspensão do rodízio municipal de veículos. Nesta terça (28), carros com placas final 3 e 4, não poderiam circular, mas tiveram trânsito liberado devido à paralisação.

    Nunes determinou que servidores de setores administrativos prestassem apoio ao operacional nas ruas da capital.

    A Guarda Civil Metropolitana (GCM) opera hoje com 3.771 homens, 903 agentes a mais do que o normal. Eles estão de prontidão em terminais de ônibus da cidade desde as 03h30 desta madrugada.