Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Há um mês, 8.750 cestas básicas doadas para moradores de Petrópolis estão em um galpão

    CNN foi ao local e constatou que os alimentos não-perecíveis não foram recolhidos pelo município; roupas doadas apodreceram em uma praça e, por determinação da Justiça, serão incineradas

    Imagens mostram cestas básicas que foram doadas para moradores de Petrópolis e que estão em um galpão há cerca de um mês
    Imagens mostram cestas básicas que foram doadas para moradores de Petrópolis e que estão em um galpão há cerca de um mês CNN Brasil

    Iuri CorsiniStéfano Sallesda CNN

    Rio de Janeiro

    Depois de uma decisão judicial determinando a incineração de roupas doadas para vítimas das chuvas em Petrópolis, no Rio de Janeiro, e que estavam apodrecendo em uma praça no município, agora, 8.750 cestas básicas enviadas pelo Ministério da Cidadania para atender à região, estão trancadas em um galpão, em Mesquita, na Baixada Fluminense, há um mês.

    A CNN esteve no local nesta terça-feira (22) e constatou que os alimentos não-perecíveis ainda não foram retirados pelo município. As cestas foram disponibilizadas pelo ministério após um pedido do prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo (PSB), em 16 de fevereiro, o dia seguinte ao primeiro temporal. A autorização para o repasse das cestas ocorreu no dia 21 de fevereiro. Procurada, a prefeitura de Petrópolis não se manifestou até o momento.

    Somadas, as tragédias de 15 de fevereiro e de 20 de março deixaram, até o momento, 233 mortos e 620 desabrigados, número que chegou a superar 1,2 mil no momento mais delicado da tragédia.

    A denúncia sobre as cestas não retiradas pelo município foi feita pelo vereador petropolitano Eduardo do Blog (Republicanos), que pediu a interferência da Defensoria Pública do Rio de Janeiro para que os produtos cheguem à população vulnerável. O órgão confirmou ter recebido a denúncia e prometeu atuar no caso.

    “Descobri em visita a Brasília, quando estava no Ministério da Cidadania no último dia 17, que o prefeito Rubens Bomtempo ainda não foi buscar as quase 9 mil cestas básicas doadas pelo Ministério para a população da cidade. Isso é uma crueldade com a população petropolitana. Agora tivemos outra tragédia e as cestas ainda estão lá paradas”, queixou-se o vereador.

    Segundo informações obtidas pela CNN, apenas a prefeitura de Petrópolis ainda não recolheu os itens. Após uma reunião realizada na semana da tragédia entre o Ministério da Cidadania e as secretarias de assistência social das cidades prejudicadas pelas fortes chuvas, a pasta determinou o repasse dos alimentos para todos os municípios afetados. Foram 20 mil cestas no total, sendo quase a metade para Petrópolis.

    Desde as chuvas de sábado, a Secretaria Estadual de Defesa Civil registrou 126 ocorrências. Deste total, 107 foram por escorregamentos, produto do acumulado pluviométrico de 534.6 milímetros de chuvas em 24 horas, de acordo com a última atualização. O segundo temporal resultou em cinco óbitos na cidade.

    Vídeo: Bombeiros continuam buscas por desaparecidos em Petrópolis