Hospital de Campanha de Campinas não irá mais receber pacientes

Hospital começou operações em 15 de Maio e, após quase três meses de funcionamento, irá desativar os 84 leitos de baixa e médica complexidades

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), durante exposição sobre a Covid-19
O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), durante exposição sobre a Covid-19 Foto: Divulgação/Prefeitura de Campinas

Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Hospital de Campanha de Campinas (SP) vai parar de receber novos pacientes a partir desta quinta-feira (06). A desativação total está prevista para 13 de agosto.

O HCAMP de Campinas iniciou suas operações em 15 de Maio e, após quase três meses de funcionamento, irá desativar os 84 leitos de baixa e médica complexidades. Cerca de 595 pacientes passaram pelo local. 

Leia mais:
Campinas retorna à fase laranja e reabre comércio

A prefeitura informou que, se por ventura ainda houver pacientes internados, eles serão transferidos para a rede municipal Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar. Atualmente, há 84 leitos no Hospital de Campanha, dos quais 37 estão ocupados. 

Ainda segundo a Prefeitura, “a Rede Mário Gatti vai manter a estrutura física que está montada no hospital, caso ela precise voltar a ser usada, mas o Instituto que estava fazendo a operação das unidades irá encerrar as atividades.”

Em relação à essa estrutura, não houve qualquer custo para a gestão municipal, que recebeu os equipamentos e a construção foram fornecidos pela ONG Expedicionários da Saúde. Já sobre a operação, o valor total gasto foi de cerca de R$6 milhões.

Com 19.443 casos e 751 mortes, a cidade está na fase laranja do Plano SP. No entanto, na última quinta-feira (30), a secretária de Desenvolvimento Regional divulgou que Campinas apresentou melhora expressiva quando comparado à semana anterior, tendo a ocupação de leitos em cerca de 75% e -3% no número de internações. 

Mais Recentes da CNN