Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    INEP aciona a PF após imagens da prova do Enem circularem nas redes sociais

    Segundo o instituto, suposto vazamento não traz nenhum prejuízo à realização da prova neste domingo (5)

    Movimentação de candidatos para o primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2023, na tarde deste domingo (05), na Universidade de Fortaleza (UNIFOR)
    Movimentação de candidatos para o primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2023, na tarde deste domingo (05), na Universidade de Fortaleza (UNIFOR) 05/11/2023 - Foto: CAIO ROCHA/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO

    Pedro Jordãoda CNN

    São Paulo

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) acionou a Polícia Federal (PF) para investigar fotos da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que passaram a circular nas redes sociais neste domingo (5) após estudantes já estarem isolados para a realização da avaliação.

    Até o momento, segundo o Inep informou à CNN, não foi identificado nenhum prejuízo que essas imagens pudessem ter provocado à realização da avaliação no dia de hoje.

    A PF deve investigar se os registros foram feitos por algum candidato. Caso a regra tenha sido desrespeitada por um dos estudantes, ele pode ser punido com sua desclassificação, segundo regras do edital do Enem.

    Os estudantes são proibidos de usar aparelhos eletrônicos durante a realização das provas. Desde o ingresso na sala de provas, eles devem, obrigatoriamente, guardar todos os itens eletrônicos, como câmeras e celulares, em um envelope porta-objetos lacrado e identificado e mantê-los lá até a saída definitiva da sala.

    As primeiras provas do Enem 2023 (linguagens, ciências humanas e redação) foram aplicadas neste domingo e as demais (matemática e ciências da natureza) serão feitas no próximo domingo (12).

    VÍDEO – Lula visita sala de monitoramento do Enem e garante que alunos não serão prejudicados

    *Com informações de Marco Amorozo, da CNN