Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Influencer é condenada por ofensas racistas a filha de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso

    Na decisão, o juiz do caso classificou as ofensas como “deliberada, cruel e covarde”. Ainda cabe recurso

    Giovanna Ewbank, Bruno Gagliasso e os filhos
    Giovanna Ewbank, Bruno Gagliasso e os filhos Reprodução: Redes Sociais

    Luan Leãoda CNN*

    São Paulo

    A influenciadora Dayane Alcântara Couto de Andrade, conhecida como Day McCarthy, foi condenada por danos morais pelas ofensas raciais contra Titi Ewbank Gagliasso, filha dos atores Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso. A decisão foi divulgada na terça-feira (6).

    Em 2017, em uma rede social, a influenciadora chamou Titi, à época com quatro anos, de “macaca” e disse que a menina tinha “cabelo horrível, de bico de palha” e “nariz de preto”. Na sentença, o juiz Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves, da 32ª Vara Cível do Rio de Janeiro, disse que Day McCarthy não foi localizada, o que resultou em uma citação no processo por edital. A influenciadora também não apresentou contestação.

    Segundo o magistrado, as postagens da influenciadora “evidenciam conteúdo racista e são inaceitáveis”. O juiz disse ainda que não reproduziria as falas no conteúdo da sentença por serem “absolutamente abomináveis”. Ainda de acordo com ele, o caso ultrapassa o racismo estrutural e se traduz em uma ofensa “deliberada, cruel e covarde”, destacando que a influenciadora fez questão de marcar a conta pessoal do ator Bruno Gagliasso na publicação.

    O magistrado também destacou que a influenciadora confessou o conteúdo racista das publicações em uma entrevista a um programa de televisão, ainda em dezembro de 2017. Na sentença, Grandmasson afirmou ser repreensível a conduta de Day McCarthy por se tratar de uma influenciadora digital, podendo estimular a prática do racismo.

    Pela decisão, a influenciadora terá que pagar R$ 180 mil, com correção monetária a partir da condenação, e com juros de 1% ao mês, contando a partir da data das ofensas. Ainda cabe recurso.

    Em nota, o advogado Alexandre Celano, que representa a família Ewbank Gagliasso, disse ter recebido “com grande contentamento a decisão”. “Nada apagará as marcas das atrocidades racistas cometidas pela ré, uma vez que os registros dos fatos continuarão disponíveis no ambiente virtual, que é público. Por outro lado, há o alento de que a condenação em compensar os danos morais sofridos, cujo valor atualizado supera a quantia de meio milhão de reais, ao que me parece, a maior quantia já arbitrada no país contra um racista, terá amplo efeito pedagógico na sociedade, de extrema relevância, pois diariamente assistimos à população preta sofrer as consequências do racismo infelizmente ainda arraigado em muitos”, diz a nota.

    O advogado disse à CNN que continuará trabalhando para a condenação criminal da influencer pelo crime de racismo, que é inafiançável e imprescritível, com pena que pode chegar a cinco anos de prisão.

    Também em nota, o advogado Gil Ortuzal, informou que assumiu a defesa técnica da influenciadora na esfera cível nesta quarta-feira (7). A defesa diz que Day McCarthy, passado seis anos, tem o entendimento de que as frases ditas por ela “jamais deveriam ter sido proferidas contra qualquer pessoa, principalmente se tratando de uma criança”. O advogado disse ainda que a influenciadora apresenta “seus sinceros pedidos de desculpas” à vítima e familiares.

    *Sob supervisão de André Rigue