Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Influencer presa afirma que assumiu culpa para proteger amigo

    Samara Mapoua foi presa por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito na última terça-feira (26), no RJ

    Influencer Samara Mapoua foi presa por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito
    Influencer Samara Mapoua foi presa por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito Reprodução/Redes Sociais

    Isabelle Salemeda CNN

    A Influencer transexual Samara Mapoua se pronunciou pela primeira vez nas redes sociais, neste sábado (30), após ter sido presa por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

    Com mais de 1,3 milhão de seguidores no Instagram, ela afirmou que está bem e que foi presa numa tentativa de proteger pessoas que estavam com ela no momento da abordagem policial, na última terça-feira (26).

    “Não quero e nem queria que ninguém passasse por isso, mas estou aqui pois tomei uma decisão de proteger e defender quem estava comigo, foi muita pressão todo aquele cenário as 4 da manhã, e a única opção que encontrei no momento foi declarar que a arma era minha para que todos conseguissem sair daquela situação”, disse a influencer em um comunicado que teria sido repassado pela assessoria jurídica que cuida do caso.

    Mapoua, que tem mais de 5 milhões de seguidores no TikTok, estava com cinco amigos em um carro na Avenida Brasil, próximo a Olaria, na zona norte do Rio, quando foi abordada por PMs. No veículo, foi encontrada a arma, com numeração raspada, e munição. O carro, a pistola e seis aparelhos de celular foram apreendidos.

    Aos policiais, a influenciadora confessou ser dona da pistola e informou que estava andando armada por medo, uma vez que estaria sofrendo ameaçada.

    “Não me arrependo do que fiz e vou acertar minhas contas com a Justiça e quando ganhar minha liberdade irei esclarecer e contar tudo para vocês. Amo todos vocês que estão me apoiando e sabem que eu nunca fiz e não faria isso por maldade, foi um acidente!”, concluiu no comunicado.

    CNN tenta contato com a defesa da influencer.