‘Informação falsa em currículo gera descrédito na Academia’, avalia professor

Presidente da Academia de Ciências (ABC) explica currículo

Da CNN

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN na tarde desta terça-feira (30), Luiz Davidovich, professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro e presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC) “afirmou que colocar informações falsas no currículo gera descrédito na Academia”.  O professor avaliou o cenário do ministro da Educação, Carlos Alberto Decotteli, que teve seu Currículo Lattes ser questionado por autoridades acadêmicas.

“A primeira penalidade [para quem coloca informações falsas] é o descrédito na Academia. As pessoas procuram não dar informações falsas em seus currículos por isso. As universidades brasileiras, por exemplo, pedem sempre o diploma original de doutorado para evitar esse tipo de situação. Fasilficar informações no currículo é muito grave”, explicou.

Leia também:
Quem é Carlos Alberto Decotelli, novo ministro da Educação do governo Bolsonaro

No entorno de Bolsonaro, aposta é de que Decotelli vai pedir para deixar o MEC

Luiz Davidovich disse ainda que o pesquisdor é responsável pelas informações que coloca em seu Currículo Lattes – plataforma disponibilizada pelo meio acadêmico, e, portanto, deve ter bastante cuidado. 

“O pesquisador é responsável pelas informações que coloca no currículo. Sendo assim, no documento, nós temos que nos identificar e tem que aceitar o Código de Conduta. Não é uma questão apenas do Lattes, eles são utilizados em todo o mundo e sempre quem é o responsável é o pesquisador”, disse.

“Currículo Lattes é uma invenção brasileira que é invejada fora do país. Já teve até publicação em revista famosa falando sobre ele. É uma base de dados que contém quatro milhões de currículos e que permite pesquisas sobre a composição da comunidade acadêmica do país.” concluiu Luiz.

(Edição: Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN