João de Deus é preso em Goiás por estupro de vulnerável de oito mulheres

Mandado de prisão foi cumprido nesta quinta-feira (26) pela Justiça após denúncia do Ministério Público de Goiás

O médium João de Deus, acompanhado por uma das filhas, foi preso nesta quinta-feira (26) após denúncia do Ministério Público de Goiás
O médium João de Deus, acompanhado por uma das filhas, foi preso nesta quinta-feira (26) após denúncia do Ministério Público de Goiás Luciano Rodrigues/CNN

Douglas PortoMarina Demorida CNN

em São Paulo e Goiânia

Ouvir notícia

O medium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, de 79 anos, foi preso nesta quinta-feira (26), em Anápolis (GO). Ele é denunciado por estupro de vulnerável envolvendo oito mulheres. Segundo o delegado George Aguiar Muniz, ele foi levado para o presídio da cidade.

A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), em 13 de agosto, à Justiça do estado, que decretou sua prisão. O mandado cumprido hoje, foi assinado pelo promotor de Justiça Luciano Miranda Meireles, coordenador da força-tarefa montada no fim de 2018 para apurar os crimes cometidos por João de Deus.

A Justiça já havia recebido outras 14 denúncias por crime sexual ao medium. Quatro já foram julgados com as seguintes condenações:

  • Violação sexual mediante fraude, na modalidade tentada, violação sexual mediante fraude e dois estupros de vulneráveis: 19 anos e 4 meses de prisão;
  • Cinco estupros de vulneráveis: 40 anos de prisão;
  • Violação sexual mediante fraude contra uma vítima: 2 anos e seis meses de prisão;
  • Posse irregular de arma de fogo de uso permitido e posse irregular de arma de fogo de uso restrito: 4 anos de prisão;

A Promotoria de Justiça de Abadiânia (GO), cidade onde fica localizada a Casa Dom Inácio de Loyola, onde eram realizados os trabalhos, relaciona outras 44 vítimas. Entretanto, em razão dos crimes já estarem prescritos –as acusações são entre 1986 e 2017– ou por acabar o direito de representação da parte denunciante, eles não foram considerados. Mas as partes ainda figuram como testemunhas em depoimento da maneira de agir do medium.

Em março de 2020 a Justiça de Goiás concedeu prisão domiciliar a João de Deus por ele fazer parte do grupo de risco da pandemia da Covid-19 e desde então a cumpria em Anápolis. À época, ele tinha 78 anos e estava preso desde 2018. Ele fez uso de tornozeleira eletrônica, entregou seu passaporte e não poderia frequentar a Casa Dom Inácio de Loyola.

Procurada pela CNN, a defesa do medium, representada pelos advogados Anderson Van Gualberto de Mendonça e Marcos Maciel Lara, diz que “recebeu a notícia com espanto e irá recorrer, mas considera temerária a decisão que determitou o retorno do requerente para a prisão, especialmente por tratar-se de um idoso com mais de 80 anos e reconhecidamente doente, situação que se agrava porque estamos em meio a uma pandemia da Covid-19, onde todos sabem que idosos, mesmo completando o processo vacinal, fazem parte do grupo de risco.”

Ainda dizem que João de Deus “aguarda os trâmites legais e após será recolhido ao cárcere. Durante o período em que esteve sob as condições da prisão domiciliar cumpriu com todas as determinações da Justiça, não havendo motivação para que medida tão extrema fosse aplicada nesse momento.”

 

Mais Recentes da CNN