Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Justiça manda lacrar prédio do Maksoud Plaza

    Hotel na capital paulista fechou as portas no dia 7 de dezembro, após 42 anos de funcionamento

    Entrada do Hotel Maksoud Plaza.
    Entrada do Hotel Maksoud Plaza. Sébastien Abramin

    Anna Gabriela Costada CNN

    em São Paulo

    O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou nesta sexta-feira (17) que o prédio onde funcionava o hotel Maksoud Plaza, na capital paulista, seja lacrado. Com isso, fica suspensa, temporariamente, a entrega do imóvel aos irmãos Fernando e Jussara Simões, que arremataram o empreendimento em um leilão, em 2011.

    A decisão provisória é do desembargador Araldo Telles, da 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial, que atendeu ao pedido dos irmãos Claudio e Roberto Maksoud, filhos do fundador do hotel, Henry Maksoud.

    O Maksoud Plaza fechou as portas no dia 7 de dezembro, após 42 anos de funcionamento.

    “Segundo os recorrentes, a interposição do recurso e a urgência justificam-se em razão da iminência da entrega (prevista para o dia 31 de dezembro), aos arrematantes, do imóvel que sempre serviu de sede do Hotel Maksoud e, também, porque, ao relegar o exame de pedidos urgentes, acabou, o i.magistrado, por indeferi-los”, detalha a decisão.

    A suspensão da transferência aos irmãos Simões vale até o dia 30 de janeiro de 2022. Com a decisão, além de o prédio ser lacrado, fica determinado que os bens móveis sejam recolhidos.

    De acordo com a assessoria do hotel, a marca será mantida e deve anunciar novos empreendimentos em breve. O anúncio do fechamento foi feito em conjunto pela HM Hotéis, administradora do hotel, e pela Hidroservice Engenharia, sua controladora.

    Recuperação judicial

    Em setembro de 2020, a HM Hotéis deu entrada em um pedido de recuperação judicial.

    De acordo com a empresa, em 2011, o prédio do hotel e seu terreno já tinham sido arrematados em leilão da Justiça do Trabalho para pagamento de dívidas trabalhistas, mas o processo estava suspenso.

    Em 6 de dezembro, houve um acordo com os empresários que venceram o leilão e o processo de recuperação judicial foi concluído.

    A crise sanitária causada pela Covid-19 teve enorme impacto sobre os setores de hospitalidade. O Maksoud Plaza ficou fechado pela primeira vez em sua história entre março e setembro de 2020. Isso causou prejuízos que superam R$ 20 milhões”, informou, em nota, a assessoria do hotel.