Mandetta abre caminho para um sucessor e mais notícias de 16 de abril

Recorde de mortes nos EUA, decisão do STF sobre restrições e outros destaques da manhã desta quinta-feira

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O clima de despedida no Ministério da Saúde, os possíveis sucessores de Luiz Henrique Mandetta, o novo recorde de mortes por causa do novo coronavírus nos Estados Unidos, a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a autonomia dos estados e municípios no combate à pandemia e a aprovação do Orçamento de Guerra no Senado são os destaques de 16 de abril de 2020.

Mandetta

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, descarta ficar no governo. “São 60 dias de batalha, e isso cansa”, afirmou à revista “Veja”. Em entrevista coletiva ao lado de seus principais auxiliares, ele explicitou o “descompasso” no governo. Mandetta já fala abertamente sobre uma possível transição e diz estar disposto a ajudar: “Eu já pedi essa conduta a todos os secretários. Se vier outra pessoa, se precisar, é para ajudar, é para permanecer”, disse.

Os sucessores

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, descartou ficar na pasta e disse que sairá junto com o atual ministro. “Eu conheci o ministro Mandetta em dezembro de 2018. Fui convidado com o ministro na transição, nunca tinha estado com Mandetta, fui convidado por ele, tenho compromisso. O dia que o ministro sair, eu saio com ele”, disse Gabbardo, um dos cotados para assumir o cargo. Outros nomes que estão no páreo: a médica Ludhmila Abrahão Hajjar, diretora de ciência e tecnologia da Sociedade Brasileira de Cardiologia; o virologista Paolo Zanotto, professor no Instituto de Ciências Biomédicas da USP; e o atual presidente da AMB (Associação Médica Brasileira), Lincoln Lopes Ferreira. Conheça quem pode assumir a cadeira de Mandetta.

Letalidade

Os Estados Unidos registram novo recorde de mortes. Em 24 horas, foram 2.569 vítimas da doença. O país já registra mais de 28 mil mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Já o Brasil confirmou 204 mortes e 3.058 novos casos em 24 horas, segundo o boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta quarta (15). Para tentar diminuir esses números, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, afirmou que vai iniciar, em breve, testes clínicos com um medicamento que teria se mostrado altamente eficiente contra o novo coronavírus em ensaios laboratoriais, reduzindo em quase 94% a carga viral. Pontes afirmou que a substância é quase tão eficiente quanto a cloroquina, mas praticamente não apresenta efeitos colaterais. O experimento será feito com 500 pacientes e terá 14 dias de duração: cinco de medicação e nove de observação.

Supremo Tribunal Federal 

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que estados e municípios têm competência para adotar medidas de restrições de locomoção durante a pandemia do novo coronavírus. Os nove ministros presentes na sessão virtual também entenderam que prefeitos e governadores têm legitimidade para definir quais atividades são consideradas essenciais para não serem paralisadas.

Orçamento de Guerra

O Senado Federal aprovou em primeiro turno, na noite desta quarta-feira (15), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento de Guerra, por 58 votos a 21. Todos os cinco destaques votados foram rejeitados. O relator do texto, Antonio Anastasia (PSD-MG), mudou bastante a matéria que veio da Câmara dos Deputados para dar mais transparência às operações do Banco Central na negociação de títulos privados. A segunda votação está marcada para esta sexta-feira (17). A proposta de emenda à Constituição separa recursos do orçamento para ações de combate à pandemia do novo coronavírus.

Cadastre-se na newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu email, inscreva-se na newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br

 

Mais Recentes da CNN