Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ministério da Agricultura diz ter plano para acompanhar nuvem de gafanhotos

    Em 1 km² de nuvem, pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de consumir, em um dia, o equivalente ao que 2 mil vacas comeriam no mesmo período

    Foto: Manoj Genani - 07.nov.2019 / Reuters

    A ministra da Agricultura, Teresa Cristina, informou que o ministério montou um plano para acompanhar a nuvem gafanhotos que pode estar a caminho do Brasil. Na segunda-feira (22), a autoridades do governo da Argentina informaram que uma nuvem de gafanhotos levantou voo na província de Corrientes, e que pode atravessar a fronteira com o Rio Grande do Sul. As imagens dos insetos se espalharam pelas redes sociais.

    Em comunicado, o governo da província de Córdoba informou que, em um quilômetro quadrado de nuvem, pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de consumir em um dia o equivalente ao que duas mil vacas poderiam comer no mesmo período.

    Pelo Twitter, Teresa Cristina disse que o governo já monitora a situação. “Montamos já um plano de monitoramento, para acompanhar o deslocamento desses gafanhotos. A gente espera que ele não chegue ao Brasil, mas todas as ações que podem ser tomadas, já tem um grupo de acompanhamento e as ações que podem ser implementadas caso isso aconteça”, afirmou.

    Leia também:

    Por que uma nuvem de poeira do Saara está encobrindo praias do Caribe

    Cientistas afirmam ter encontrado o ar mais limpo da Terra

    Desmatamento da Amazônia registra maior taxa em maio desde 2016

    De acordo com a Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentícia da Argentina), os insetos seguiram na direção sul e devem chegar à província de Entre Ríos.

    Segundo as autoridades argentinas, a nuvem teve origem no Paraguai e vem atravessando o país desde a semana passada (15), apesar de já terem identificado um grupo de gafanhotos no final de maio. Nesse meio tempo, lavouras de milho foram totalmente destruídas pela praga.