Mortes sem despedida: como a pandemia mudou o luto dos brasileiros

Caixões fechados, velórios que duram minutos e enterros realizados em massa impedem que aqueles que continuam vivos possam dizer adeus aos entes queridos

Lorena Lara, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

Podcast E Tem Mais, com Monalisa Perrone

Podcast E Tem Mais é publicado de segunda a sexta, sempre no início da manhã
Foto: CNN Brasil

O novo coronavírus já tirou a vida de mais de 30 mil brasileiros. Para além dessa perda, os que permanecem vivos não têm a chance de cumprir os ritos fúnebres. Os caixões são fechados, os velórios – quando acontecem – duram poucos minutos e os enterros são realizados por profissionais paramentados. Em muitos casos, os corpos são colocados em valas comuns. Um processo que pode deixar marcas muito mais profundas. No E Tem Mais desta segunda (8), Monalisa Perrone recebe a produtora Juliana Faddul e o editor Edu Palacio, que produziram uma reportagem sobre como a pandemia mudou até mesmo a maneira de se despedir.

Leia mais:

Famílias enfrentam a dor do luto e de enterros sem velório durante a pandemia

Enterros sobem 57% e SP inaugura cemitério vertical exclusivo para Covid-19

A nova maneira de dizer adeus às vidas perdidas na pandemia

Ouça e assine os podcasts da CNN Brasil gratuitamente:

5 Fatos

Abertura de Mercado

América Decide

Carteira Inteligente

CNN Líderes

Coronavírus: Fato x Ficção

Horário de Brasília

Meeting

Na Palma da Mari

O Grande Debate

O Mundo Pós-Pandemia

O Que Eu Faço?

Todo o conteúdo da grade digital da CNN Brasil é gratuito.

Mais Recentes da CNN