Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Motorista de aplicativo ameaça pai de criança autista com taco de beisebol em briga no DF

    Caso aconteceu na manhã de terça-feira (30), em Brasília (DF)

    Câmeras de segurança registraram o momento em que o motorista de aplicativo Gabriel Xavier discute com o caminhoneiro Carlos Eduardo Lobato
    Câmeras de segurança registraram o momento em que o motorista de aplicativo Gabriel Xavier discute com o caminhoneiro Carlos Eduardo Lobato Reprodução

    Bruno LaforéCarolina FigueiredoElijonas Maiada CNN

    em São Paulo e em Brasília

    Câmeras de segurança registraram o momento em que o motorista de aplicativo Gabriel Xavier discute com o caminhoneiro Carlos Eduardo Lobato, de 44 anos, e utiliza um taco de beisebol para ameaçar o passageiro, que estava acompanhado de seu filho de três anos de idade. O caso aconteceu na manhã de terça-feira (30), em Brasília (DF).

    A CNN apurou que Carlos Eduardo chamou um carro de aplicativo para levar seu filho, que é autista, ao médico. O veículo que chegou para buscá-los era diferente do modelo indicado na plataforma, portanto o cliente foi conferir a placa, enquanto a criança se adiantou e entrou no carro.

    O menino teria pisado no banco traseiro do veículo, o que irritou o motorista. Gabriel Xavier teria puxado a criança de dentro do carro, o que fez com que o menino se assustasse e caísse. Em seguida, Carlos Eduardo foi tirar satisfação com o motorista, que teria xingado a criança e se recusou a transportar a família.

    Durante a discussão, o motorista Gabriel Xavier pegou um taco de beisebol e ameaçou agredir o passageiro com o objeto. Carlos Eduardo, então, tentou proteger o filho e se colocou na frente da criança. Não houve consumação da agressão física.

    A família registrou um boletim de ocorrência e está processando o motorista por constrangimento e ameaça. No processo, eles pedem indenização por danos morais.

    A Polícia Civil do Distrito Federal informou que a vítima manifestou interesse em representar em desfavor do motorista de aplicativo e que a 26ª Delegacia de Polícia investiga os fatos. O caso foi registrado como ameaça.

    À CNN, Gabriel Xavier disse que entende que agiu de forma errada, assim como o passageiro. Ele ainda afirmou que já se desculpou com os envolvidos no caso e que entende que a situação está resolvida.

    A CNN solicitou um posicionamento da 99 e aguarda retorno.