Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    MPF recebeu denúncia de ativista contra Matteus, do BBB 24, que usou cotas para entrar em universidade

    Ativista Antonio Isuperio denunciou o ex-brother ao MPF por falsidade ideológica; nas redes, Matteus declarou que "a inscrição foi feita por um terceiro"

    Matteus Amaral é de Alegrete (RS) e foi vice-campeão do BBB 24
    Matteus Amaral é de Alegrete (RS) e foi vice-campeão do BBB 24 Reprodução/Instagram

    Julia FariasRafael VillarroelVictor Locatelida CNN* São Paulo

    O Ministério Público Federal recebeu uma denúncia do ativista Antonio Isuperio contra o vice-campeão do BBB 24, Matteus Amaral, por se declarar “preto” para ingressar no Instituto Federal Farroupilha, em 2014.

    À época, o gaúcho de Alegrete cursava Engenharia Agrícola em sua cidade natal.

    O BBB foi denunciado por falsidade ideológica, pois ingressou na instituição pelo sistema de cotas e se declarou como uma pessoa preta.

    “Que o indivíduo responda pelo crime de falsidade ideologia para adentrar a universidade. A faculdade e o Indivíduo devem ser responsabilizado. A faculdade deve ser responsabilizada pela negligência e o indivíduo pelo crime de falsidade ideológica”, diz um trecho do documento em que a CNN teve acesso.

    Nas redes sociais, o BBB soltou uma nota de esclarecimento onde declarou que “a inscrição foi feita por um terceiro”, onde o mesmo cometeu erro ao selecionar a modalidade de cota racial, sem o consentimento de Matteus.

    Ainda em nota, ele disse lamentar profundamente qualquer impressão de que teria buscado se beneficiar da política de cotas.

    A CNN procurou o Ministério Público Federal para comentar sobre a denúncia enviada ao órgão, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

    Quem é Antonio Isuperio

    Pensador, ativista e autor, é assim que o autor da denúncia contra o ex-BBB se identifica em suas redes sociais.

    Em seu perfil, há vídeos de seus discursos e falas, incluindo na Organização das Nações Unidas (ONU), além de fotos com personalidades como a Deputada Federal Benedita da Silva (PT-RJ) e a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco.