Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    MS tem “condições atmosféricas extremas” que prejudicam controle de incêndios, diz tenente-coronel

    À CNN Rádio, Tatiane Dias de Oliveira, do Corpo de Bombeiros, destacou que, até o momento, não foram registrados feridos

    Queimadas no Mato Grosso do Sul
    Queimadas no Mato Grosso do Sul Corpo de Bombeiros Militar do MS

    Amanda Garciada CNN

    A região do Pantanal no Mato Grosso do Sul tem cinco cidades em situação de emergência por causa das queimadas.

    De acordo com a tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do estado Tatiane Dias de Oliveira, há uma “diferença exorbitante” dos focos de calor nos últimos 30 dias em relação ao ano passado.

    “Em 2022, tivemos 60 focos, agora em 2023 esse número é de 1468 até o último dia 15 de novembro”, afirmou, à CNN Rádio.

    A tenente-coronel atribui esse aumento às “condições atmosféricas extremas” registradas no MS.

    “As condições têm sido severas, normalmente em novembro teríamos precipitações consideráveis, mas esse ano não tem chovido”, completou.

    Tatiane Dias completou que “a massa de ar quente está grande, sem chuvas, mas com incidência de raios, e a vegetação está muito seca, com vento forte.”

    Veja mais: Desmatamento na Amazônia cai, mas onda de queimadas preocupa

    “Isso gera focos isolados em áreas que não há acesso para fazer combate ao fogo, causando incêndios grandes”, alertou.

    A tenente-coronel disse que não houve registro de feridos, mas orientou que as pessoas evitem as áreas de fumaça densa tanto na zona rural, quanto urbana.

    *Com produção de Isabel Campos