Nina Silva: Polícia não fez nenhum cerco à cena do crime

A Especialista CNN comentou o assassinato de Moïse Kabamgabe, jovem congolês que foi agredido até a morte no Rio de Janeiro

Raphael Buenoda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

A Especialista CNN Nina Silva comentou, nesta terça-feira (1°), o assassinato do jovem congolês Moïse Kabamgabe, de 24 anos, morto na noite do dia 24 de janeiro, próximo ao quiosque Tropicália, situado no posto 8 da Praia da Barra, na zona oeste do Rio de Janeiro.

O jovem, que trabalhava no quiosque, foi agredido até a morte por quatro indivíduos após cobrar por dois dias de trabalho que não foram pagos.

Nina alertou sobre o descaso por parte das autoridades com a morte do jovem. Segundo ela, não houve nenhum cerco policial na cena do crime.

“Nós temos três câmeras que estavam no quiosque e poderiam ser facilmente identificadas pela polícia. A polícia não fez nenhum cerco policial na cena do crime, porque foram policiais que encontraram o corpo”, disse ela.

A especialista comentou que diversos são os fatores que levam a naturalidade de crimes como esse. De acordo com a embaixada do Congo no Brasil, além de Moïse, outros quatro imigrantes congoleses já foram assassinados no Brasil e seus casos ainda não foram resolvidos.

Além de homicídio, nós temos xenofobia, nós temos racismo por trás de crimes como esse

Nina Silva, Especialista CNN

Segundo Nina, mudanças políticas precisam ser feitas em relação à violência contra pessoas negras no Brasil.

“Nós trabalhamos para que políticas reparatórias sejam feitas, para que ações afirmativas sejam feitas”, concluiu ela.

Veja mais no vídeo acima.

Mais Recentes da CNN