Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Novo diretor-geral escolhe profissionais que vão integrar a cúpula da PF

    Após essas mudanças, espera-se que Maiurino inicie, ainda esta semana, trocas nas superintendências da PF

    Paulo Gustavo Maiurino tem entre os destaques da sua carreira o fato de ter participado da investigação do chamado “mensalão mineiro”
    Paulo Gustavo Maiurino tem entre os destaques da sua carreira o fato de ter participado da investigação do chamado “mensalão mineiro” Foto: Flickr/justicagovbr

    Renato Barcellos e Vianey Bentes, da CNN, em São Paulo e Brasília

    Ouvir notícia

    O diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, selecionou os profissionais que vão integrar os cargos mais importantes da corporação. 

    Para a Diretoria Executiva, Maiurino escolheu o superintendente da PF em Minas Gerais, Cairo Duarte.

    Luís Flávio Zampronha será o chefe da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado, que investiga políticos em inquéritos que correm no STF e STJ.

    O cargo de diretor de Inteligência ficará com Rodrigo Carneiro, que atualmente atua na divisão de repressão de crimes fazendários da PF.

    Para a Diretoria de Tecnologia da Informação, o escolhido foi Alessandro Moretti. Ele atuou como adjunto do ministro da Justiça, Anderson Torres, quando trabalhavam na Secretaria de Segurança no Distrito Federal.

    Nivaldo Poncio foi designado para a Diretoria Técnico-Científica, onde já atuava.

    Após essas mudanças, espera-se que Maiurino inicie, ainda esta semana, trocas nas superintendências da PF. 

    Paulo Gustavo Maiurino, o terceiro diretor-geral da PF no governo Jair Bolsonaro, tem entre os destaques da sua carreira o fato de ter participado da investigação do chamado “mensalão mineiro”, que apurou crimes de caixa 2 na campanha de reeleição do tucano Eduardo Azeredo (PSDB) ao governo de Minas Gerais.

    Maiurino também já exerceu outros cargos de influência. O delegado foi secretário de Segurança do Supremo Tribunal Federal na gestão do ministro Dias Toffoli como presidente da Corte e assessor especial de Segurança Institucional do Ministro Presidente do Conselho da Justiça Federal (CJF).

    O novo diretor-geral da PF trabalhou também no Governo de São Paulo, na gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Entre 2016 e 2018, foi secretário de Esporte, Lazer e Juventude. Em 2018, se tornou subsecretário de Segurança Pública.

    Mais Recentes da CNN