Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Número de mortes em operação em Guarujá sobe para 18, diz polícia

    Dois suspeitos foram mortos nesta terça-feira (15) durante confronto com o Batalhão de Ações Especiais (Baep) da Polícia Militar

    Movimentação de policiais militares no distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá, durante a operação Escudo
    Movimentação de policiais militares no distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá, durante a operação Escudo TABA BENEDICTO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Da CNN

    O número de mortes na operação Escudo da Polícia Militar de São Paulo, realizada desde o final de julho em Guarujá, subiu para 18, nesta terça-feira (15).

    A atuação da corporação começou após o policial militar Patrick Bastos Reis, de 30 anos, membro das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), ser morto no dia 27 do mês passado.

    VÍDEO – Moradores de Guarujá protestam contra operação policial

    Segundo a Polícia Militar, dois suspeitos atiraram contra equipes do Batalhão de Ações Especiais (Baep). As autoridades revidaram e os atingiram. Ambos foram levados para hospitais da região, mas não resistiram aos ferimentos.

    Foram encontrados uma pistola e um revólver com os indivíduos. Um deles, de 37 anos, possui antecedentes criminais.

    As ações estão sendo registradas nas delegacias da cidade.

    O que se sabe sobre o caso

    • Patrick Bastos Reis, de 30 anos, morreu em 27 de julho durante uma operação na Baixada Santista, após ser atingido por um tiro à longa distância;
    • De acordo com a inteligência da polícia, o disparo que matou o soldado Reis foi feito a uma distância entre 50 e 70 metros, do alto de uma comunidade em Guarujá, na Baixada Santista. Os policiais foram atacados quando patrulhavam o bairro Vila Zilda;
    • A morte desencadeou uma grande operação policial no litoral nos últimos dias, depois de a morte do PM da Rota ter causado comoção entre os policiais. Participaram da ação 600 agentes de equipes especializadas das polícias Civil e Militar paulista;
    • Em 30 de julho, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) afirmou nas redes sociais que o autor do disparo que matou Reis havia sido capturado na zona sul da capital paulista.

    Veja também: Demissões feitas por Dino servem de exemplo para inibir abordagens violentas?

    *Publicado por Douglas Porto, com informações de João Victor Azevedo