Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Número de professores formados em EAD na rede particular dobra em 10 anos

    Movimento inverso foi verificado no número de professores formados em graduações presenciais

    Professores formados em cursos à distância são maioria
    Professores formados em cursos à distância são maioria Divulgação/MCTIC

    Bianca Camargoda CNN

    São Paulo

    A quantidade de professores que se formaram em cursos de licenciatura à distância em faculdades particulares mais do que dobrou em 10 anos.

    • Eram 34% em 2012
    • Em 2022, passaram a ser 65%

    Os dados constam em levantamento da ONG Todos Pela Educação, feito a partir dos dados do Censo da Educação, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

    O movimento inverso foi verificado no número de professores formados em graduações presenciais, que caiu de 66% para 35% no mesmo intervalo.

    O estudo ainda mostra que houve redução na qualidade das notas dos cursos de licenciatura em EAD entre 2014 e 2021.

    Nove cursos para docentes tiveram redução na nota média do Enade:

    • Artes Visuais,
    • Ciências Biológicas,
    • Educação Física,
    • Física,
    • Letras (português),
    • Letras (português e inglês),
    • Música,
    • Pedagogia,
    • e Química.

    Só em 2021, todos os cursos de formação para professores analisados, as notas médias EAD eram menores do que na modalidade presencial.

    Outros problemas

    Segundo Priscila Cruz, presidente-executiva do Todos Pela Educação, o ensino à distância não é o único problema na formação inicial de professores.

    “É papel do Ministério da Educação reformular profundamente os processos regulatórios desses cursos à distância”, disse. “Os futuros professores e a sociedade como um todo não podem ser vítimas desse descaso, que se intensifica ano após ano, sem que o governo federal tome uma medida eficaz para frear essa expansão”.

    O Censo da Educação, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgado na terça-feira (10), mostra que os ingressantes dos cursos de licenciatura em EAD representam 93,7% na rede privada enquanto na rede pública são 22,2% nessa modalidade.

    Ação do ministério

    Uma das preocupações apontadas pelo ministro da Educação, Camilo Santana, é a expansão do ensino à distância, que cresceu 21% de 2021 para 2022.

    O ministro classificou o fenômeno como “alarmante e desafiador”. “São 17,1 milhões de vagas, ante 5,6 milhões no ensino presencial”, disse.

    “Nossa preocupação não é ter curso à distância, mas garantir a qualidade desse curso oferecido para a formação do profissional. Estávamos aguardando o relatório desse último Censo para tomar decisões mais rígidas ou duras para regular e coordenar esses cursos”, explica o ministro.

    Camilo Santana também afirmou que a formação de professores também é outra preocupação e que foi criado um grupo trabalho para regulamentar a formação inicial de professores no Brasil

    O MEC afirmou para CNN que fará uma análise mais rigorosa desses cursos e estavam discutindo a questão. “Abrimos consulta pública, mas, pelos dados (do Censo da Educação Superior), isso exigirá uma ação mais rápida. O MEC quer prezar pela qualidade desses cursos.”

    Tópicos

    Tópicos