Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    O orgulho de poder ter orgulho

    Celebrar o orgulho de ser quem é e ter o privilégio de estar vivo deveriam ser dois direitos básicos de todo ser humano

    Seksan Mongkhonkhamsao/Getty Images

    Letícia Vidicada CNN

    São Paulo

    Celebrar o orgulho de ser quem é e ter o privilégio de estar vivo deveriam ser dois direitos básicos de todo ser humano. Mas para quem é da comunidade LGBTQIAP+ são duas lutas incansáveis e que ganham um outro gosto quando se pode ser de fato quem sempre se quis ser.

    Junho é o mês do orgulho. Não que apenas um mês seja o suficiente para focar na importância dessa bandeira mas é quando os olhos se viram para essa causa e é a hora de reforçar a importância de fazer valer seus direitos. Direitos que devem valer por um ano inteiro e por uma vida toda.

    Direitos que começaram a serem solicitados nos gritos de revolta de Stonewall, em Nova York, quando em 1969 frequentadores de um bar gay da cidade foram às ruas protestar contra as perseguições e violência policial à comunidade. Daí, então, 28 de junho passou a ser o dia internacional do orgulho LGBT e junho virou o mês do orgulho.

    De 69 para cá, muita coisa mudou. Direitos foram conquistados mas a luta pelo respeito e pelo orgulho sem discriminação continua… Continua para além das cores da bandeira, para além das festividades em celebração a esse orgulho, continua muito além da propaganda.

    Mesmo que você não faça parte da comunidade LGBTQIAP+, essa luta também é sua. É uma luta por uma sociedade melhor e é uma luta pela vida de pessoas que só querem ter o direito de ser quem são e como quiserem.

    A gente só muda uma sociedade quando sai da nossa própria bolha, olha a grama do vizinho e entende que ela também precisa da nossa atenção e que nada adianta seu jardim estar lindo e o do vizinho estar seco porque isso não fará a rua mais linda, enquanto todos os jardins não estiverem floridos.

    Por isso, não só neste mês, mas durante todo o ano. Não só na avenida Paulista mas na sua rua, no seu prédio, no seu condomínio, no seu trabalho… orgulhe-se junto com quem tem orgulho. Sem tirar o lugar de fala de ninguém mas sendo empático e humano com uma causa tão importante. Não regue só o seu jardim, hein?