Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Operação em 5 estados mira organização criminosa ligada ao miliciano “Zinho”

    Objetivo da ação é coleta de provas, apreensão de bens e prisão dos envolvidos

    Esquema de lavagem de dinheiro dos criminosos estaria ligado ao miliciano Zinho.
    Esquema de lavagem de dinheiro dos criminosos estaria ligado ao miliciano Zinho. Divulgação

    Rafael Saldanhada CNN

    A Polícia Civil do Rio de Janeiro deflagrou a Operação Magnum, nesta quarta-feira (12), para desarticular uma organização criminosa envolvida em lavagem de dinheiro.

    A corporação afirma que a organização criminosa estava ligada à práticas ilícitas para o miliciano Danilo Dias Lima, o “Tandera”, mas, desde 2022, teria se aliado a Luis Antônio da Silva Braga, o “Zinho”.

    O objetivo da ação é a coleta de provas, apreensão de bens e a prisão dos envolvidos.

    Os agentes policiais cumprem mandados de busca e apreensão nos municípios de Santa Cruz e Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro, em Seropédica, na Baixada Fluminense, e em Petrópolis, na Região Serrana.

    Também há ações coordenadas nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Espírito Santo.

    As investigações apontam que um dos suspeitos utiliza companhias do setor de transportes para mascarar a origem de recursos obtidos com atividades criminosas da milícia, como grilagem de terras, loteamento irregular de terrenos e extorsões.

    O grupo teria movimentado cerca de R$ 30 milhões de 2021 a 2024. A apuração da polícia foi feita em parceria com o Comitê de Inteligência Financeira e Recuperação de Ativos.

    Os alvos da Delegacia de Combate às Organizações Criminosas e Lavagem de Dinheiro (DCOC-LD) são pessoas físicas e empresas apontadas como participantes do esquema para favorecer as milícias.

    A operação conta com equipes de inteligência, unidades táticas e peritos financeiros e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).