Ossos encontrados não pertencem aos meninos desaparecidos no RJ, aponta perícia

Ossada encontrada na Baixada Fluminense é de origem animal

Imagens mostram meninos de Belford Roxo no dia do desaparecimento
Imagens mostram meninos de Belford Roxo no dia do desaparecimento Foto: MPRJ

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Uma perícia realizada pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (2), descartou que a ossada encontrada em Belford Roxo, cidade do Rio de Janeiro, seja dos três meninos desaparecidos na Baixada Fluminense há sete meses. De acordo com o exame, a ossada encontrada no último dia 30 é de origem animal.

Lucas Matheus, de 9 anos, Alexandre Silva, 11, e Fernando Henrique, 12, sumiram em dezembro, depois que saíram para brincar. Imagens de câmeras de vigilância da cidade flagraram os meninos horas antes ao desaparecimento.

“Foi observado que o aspecto morfológico dos ossos não corresponde ao de ossos humanos de subadultos, e pelo exposto conclui-se tratar-se de vertebras caudais de animais e não de falanges humanas”, determina a perícia.

Os ossos foram analisados pela Polícia Civil, após um homem acusar o próprio irmão por envolvimento no desaparecimento dos três meninos, que teriam sido mortos por traficantes da região. O denunciante garantiu que os corpos das crianças foram ocultados em saco plásticos e jogados em um Rio na Baixada Fluminense.

Após a declaração, o acusado foi detido por policiais militares do batalhão de Belford Roxo. Durante o depoimento, o homem negou as acusações feitas pelo irmão. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) vai continuar as buscas.

Mais Recentes da CNN