Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    País teve 42 apagões no ano passado e 15 no primeiro semestre de 2023

    Episódios se referem a blecautes iguais ou superiores a 100 megawatts (MW) de carga total, com pelo menos dez minutos seguidos de duração

    Daniel Rittnerda CNN

    Em Brasília

    O Brasil teve 42 apagões no ano passado, segundo números do Ministério de Minas e Energia (MME). Esses episódios se referem a blecautes iguais ou superiores a 100 megawatts (MW) de carga total, com pelo menos dez minutos seguidos de duração.

    Entre janeiro e junho deste ano, foram outras 15 ocorrências. Os dados fazem parte dos boletins de monitoramento do sistema elétrico brasileiro, que são divulgados mensalmente pelo ministério.

    Na manhã desta terça-feira (15), um apagão atingiu 25 estados e o Distrito Federal. O governo federal diz que a energia foi restabelecida no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, mas que Norte e Nordeste seguem afetados.

    Vídeo: Apagão atinge todas as regiões do Brasil

    De acordo com os boletins, no acúmulo de todos esses registros, houve uma interrupção de carga de 10.482 MW em 2022. Neste ano, foram 3.382 MW.

    Um dos maiores episódios em 2023 ocorreu em 22 de março, na região metropolitana de Manaus, quando houve “desligamentos automáticos múltiplos” que totalizaram cerca de 500 MW.

    O que é apagão?

    Apagão, ou blecaute (abrasileirado do termo em inglês black out), é a interrupção total ou parcial do funcionamento do sistema elétrico. Por conta de alguma falha na transmissão, uma determinada região do país fica sem o fornecimento de energia — ou, como se diz popularmente, sem luz. Vem daí o uso do termo.

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divide as falhas no sistema elétrico em duas categorias: ocorrências e interrupções.

    Uma ocorrência, como a que foi registrada nesta terça-feira (15), é um evento ou ação que faz o SIN operar fora das condições normais. Quando uma delas ocorre, a Aneel investiga as origens do problema, analisa as dificuldades verificadas no sistema e define medidas corretivas e preventivas para evitar que ela aconteça novamente.

    Perturbações, segundo a agência, são caracterizadas pelo desligamento forçado de componentes do SIN. As consequências desse problema podem ser um corte de carga, o desligamento de outros componentes, danos em equipamentos ou violações de limites operativos.

    O que é racionamento?

    Racionamento, por sua vez, é uma medida imposta pelo governo que determina a redução do consumo de energia elétrica de uma parcela ou da totalidade da população, a depender do problema registrado no sistema.

    Em geral, é adotado quando as autoridades compreendem que o fornecimento de energia não será suficiente para corresponder à demanda das pessoas, empresas e órgãos públicos. É, portanto, uma medida dura, que tem como objetivo evitar apagões por sobrecarga.

    O mais famoso caso de racionamento de energia no Brasil ocorreu em julho de 2001, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Na época, FHC determinou a redução de 20% do consumo por nove meses em 16 estados e no Distrito Federal.

    O país atravessava uma seca e também precisava lidar com problemas de atrasos de obras no sistema de transmissão e geração de energia no Brasil.