PF deflagra operação contra organização acusada de garimpo ilegal na Terra Yanomami

Segundo a PF, o grupo ocultava o patrimônio através envios de remessas de dinheiro para o exterior usando identidades falsas e operações de câmbio ilegal

Polícia Federal realizou operação para investigar garimpo legal em Terra Indígena Yanomami nesta quinta-feira (18)
Polícia Federal realizou operação para investigar garimpo legal em Terra Indígena Yanomami nesta quinta-feira (18) Polícia Federal

Vianey Bentesda CNN

Em Brasília

Ouvir notícia

A Polícia Federal (PF) realiza nesta quinta-feira (19) a operação Urihi Wapopë 2 em Roraima, contra uma organização acusada de extração ilegal de ouro e cassiterita em garimpos na Terra Indígena Yanomami. Estão sendo cumpridos quatro mandados de busca e apreensão na casa dos envolvidos, todos expedidos pela 4ª Vara Federal Criminal.

De acordo com as investigações, a organização está ligada a empresas de táxi aéreo, entre as quais uma possui ao menos 20 helicópteros, supostamente utilizados para o transporte do minério extraído ilegalmente.

Segundo a PF, o grupo também ocultava o patrimônio através de transferências de bens para terceiros, com envios de remessas de dinheiro para o exterior usando identidades falsas e operações de câmbio ilegal. A investigação mostra ainda, que os envolvidos criaram uma empresa fantasma para esconder a movimentação financeira ilícita.

O nome da operação, Urihi Wapopë, significa comedores de terra. A 2ª fase faz alusão ao nome usado pelos povos Yanomami para se referirem aos garimpeiros, que invadem a Terra Indígena Yanomami, destroem as áreas de floresta, próximas aos rios, em busca de minério.

Mais Recentes da CNN