Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF realiza operação para combater saques fraudulentos no Auxílio Emergencial

    Investigações mostram que criminosos movimentaram mais de R$ 30 milhões

    De acordo com a PF, são cumpridos 12 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva no Distrito Federal e em Águas Lindas de Goiás (GO)
    De acordo com a PF, são cumpridos 12 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva no Distrito Federal e em Águas Lindas de Goiás (GO) Reprodução/ Polícia Federal

    Vianey Bentesda CNN

    em Brasília

    A Polícia Federal (PF) apura, nesta quinta-feira (11), o crime de fraude eletrônica praticado por uma organização criminosa que realiza saques no Auxílio Emergencial na Caixa Econômica Federal.

    De acordo com a PF, são cumpridos 12 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva no Distrito Federal e em Águas Lindas de Goiás (GO).

    As investigações da polícia, após consultas na Base Nacional de Fraudes no Auxílio Emergencial (BNFAE), mostram que ocorreram fraudes durante os anos de 2020, 2021 e 2022, com movimentação acima de R$ 30 milhões realizadas pelos criminosos. Eles abriam contas bancárias e usavam laranjas ou pessoas de confiança do grupo para movimentar o dinheiro, e com isso, evitar o bloqueio pela Caixa.

    A operação é chamada de “Saque Antecipado”, e segundo a PF, a justiça já aplicou medidas cautelares para três dos envolvidos, que vão desde recolhimento domiciliar, proibição de deixar domicílio sem autorização, não manter contato com outros acusados até comparecimento mensal à Justiça Federal para acompanhar os processos.

    A PF pode fazer visitas às residências dos envolvidos, a qualquer dia, para checar se as medidas estão sendo cumpridas. Os criminosos envolvidos nessa fraude eletrônica podem pegar até 18 anos de prisão.