Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PM prende 14 pessoas por falsificação de cervejas no interior de SP

    Agentes encontraram um total de 510 caixas da bebida alcoólica com rótulos adulterados em Sorocaba

    Barracão com fardos de cervejas com rótulso adulterados em Sorocaba, interior de São Paulo
    Barracão com fardos de cervejas com rótulso adulterados em Sorocaba, interior de São Paulo Divulgação/ABCF

    Júlia Vieirada CNN

    São Paulo

    A Polícia Militar prendeu, entre a quinta-feira (8) e a segunda-feira (11), 14 pessoas pela falsificação de cervejas em Sorocaba, no interior de São Paulo.

    Nos endereços onde ocorreram as buscas, os agentes encontraram um total de 510 caixas da bebida alcoólica. Segundo a PM, os autores do crime confessaram que compravam bebidas mais baratas e substituíam por rótulos de marcas mais caras e conhecidas no mercado.

    As denúncias foram recebidas pela Associação Brasileira de Combate à Falsificação (ABCF) e enviadas à polícia pela organização.

    De acordo com a ABCF, as substituições eram feitas em barracões sem nenhuma higiene, onde acontecia, inclusive, a contaminação do produto. Desde janeiro de 2024, 15 fábricas foram denunciadas pela associação pela falsificação de cervejas.

    Os presos, que tinham entre 18 a 38 anos, foram conduzidos ao 4° e ao 6º Distrito Policial e permaneceram à disposição da Justiça, informou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. Eles foram detidos por crimes contra relações de consumo e organização criminosa.

    Associação atribui as falsificações à extinção de órgão de fiscalização

    Segundo um estudo produzido pela ABCF, a sonegação no setor de bebidas aumentou 292% de 2016 a 2022, com crescimento acentuado da falsificação e do contrabando dos produtos neste período.

    A associação afirma que o fim do Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe), em 2016, abriu espaço para o crescimento “exponencial” do mercado ilegal no setor.

    Em nota, a ABCF defendeu a volta “imediata da rastreabilidade no setor de bebidas a fim de combater a sonegação, falsificação, contrabando de maneira efetiva e de aumentar exponencialmente a arrecadação do setor, gerando um ambiente mais leal de concorrência para as empresas que trabalham dentro da legalidade”.