Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia do Rio indicia morador de Ipanema por injúria por preconceito contra segurança

    De acordo com o inquérito da 14ª DP, Aloysio Augusto da Costa submeteu Lucas Rodrigues Neves a uma situação vexatória, fato registrado por vídeo e corroborado pelo depoimento de diversas testemunhas

    Durante a apuração do crime, a Polícia Civil intimou Aloysio para prestar depoimento sobre o caso
    Durante a apuração do crime, a Polícia Civil intimou Aloysio para prestar depoimento sobre o caso Tomaz Silva/Agência Brasil

    Cleber RodriguesBruna Gaviolida CNN

    A Delegacia do Leblon (14ª DP) indiciou, na quarta-feira (28), um morador por injúria por preconceito contra o segurança de um restaurante em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

    Segundo o inquérito da 14ª DP, Aloysio Augusto da Costa, de 83 anos, submeteu Lucas Rodrigues Neves, de 22, a uma situação vexatória. O fato foi registrado por vídeo e corroborado pelo depoimento de diversas testemunhas.

    O relatório da polícia concluiu, ainda, que os ataques racistas teriam sido proferidos por Aloysio devido a um banco usado pelo segurança para descansar e que foi posicionado na calçada do morador.

    Em depoimento, a vítima e as testemunhas contaram que Aloysio afirmou que Lucas estava “favelizando” a calçada e usou expressões racistas para atacá-lo. “Falei que não quero essa favela aqui. Pago uma fortuna de condomínio, pra ficar essa favela aqui em frente, seu neguinho”, disse.

    A CNN tenta contato com a defesa do acusado e aguarda retorno. A defesa da vítima informou que vai aguardar o posicionamento do Ministério Público sobre o caso.

    Segundo as investigações, as ofensas começaram em maio, mas foram intensificadas no mês de junho, quando um garçom conseguiu filmar o momento em que Lucas é chamado de “neguinho”. O vídeo viralizou e foi anexado ao inquérito policial.

    Durante a apuração do crime, a Polícia Civil intimou Aloysio para prestar depoimento sobre o caso. No entanto, a defesa do morador protocolou uma petição requerendo a dispensa da oitiva, sob alegação de estágio inicial de demência.

    Bernardo Augusto da Costa, que é filho do agressor, também foi acusado de racismo contra o segurança, mas, após os depoimentos, a polícia descartou o envolvimento dele.

    Com a conclusão do inquérito, o relatório será encaminhado ao Ministério Público do Rio de Janeiro. “A polícia terminou o trabalho dela. Agora cabe ao Ministério Público decidir se vai oferecer a denúncia contra o indiciado”, afirmou a delegada da 14ª DP, Daniela Terra.

    Crime

    Lucas Rodrigues Neves, que trabalha como segurança em um restaurante italiano em Ipanema, na Zona Sul do Rio, acusa Aloysio Augusto da Costa, que é morador da região, de injúria racial.

    Em vídeo, gravado na noite de 10 de junho, o idoso aparece chamando o funcionário de “neguinho”, além de outros insultos.