Polícia Federal investiga fraudes em licitações no DNIT

Investigações apontam para a existência de possível cartel entre empresas com atuação em licitações da Administração Pública Federal entre 2016 e 2017

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)
Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Vianey Bentesda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

A Polícia Federal (PF) está na ruas do Distrito Federal e de São Paulo nesta terça-feira (26) com a Operação Burolano, que investiga fraudes em pregões eletrônicos para aquisição de móveis pelo Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT).

Cerca de 100 agentes cumprem 22 mandados de busca e apreensão e sequestro de bens no valor estimado de R$ 12 milhões, expedidos pela 15ª Vara Criminal Federal do DF.

As investigações em torno destas suspeitas começaram no ano passado e apontam a existência de um esquema ilícito em pregões eletrônicos e superfaturamento na aquisição de mobiliário diversos para órgãos públicos, principalmente para o DNIT, entre 2016 e 2017.

Segundo a PF, os fatos encontrados na investigação indicam a existência de um possível cartel entre as empresas que atuam em licitações junto a Administração Pública Federal, de acordo com auditoria da Secretaria de Controle Externo de Contratações Logísticas do Tribunal de Contas da União (TCU).

O nome da operação faz referência a expressão burocrata que trabalha nos escritórios. Tendo em vista que se trata de investigação relativa à aquisição de mobiliário, faz-se a ilação de que esses móveis seriam adquiridos para a “buroléia”.

Em nota enviada à CNN, o DNIT afirmou que “colabora com a investigação, que se refere a contratos executados em 2016 e 2017, visando a completa elucidação dos fatos”.

“As instâncias de integridade da Autarquia também estão apurando os fatos a fim de adotar as medidas administrativas que forem necessárias”, informou a autarquia.

Mais Recentes da CNN