Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Policial federal morto por PM foi homenageado por salvar criança engasgada

    Salvamento aconteceu no mês de outubro em um restaurante no Distrito Federal

    Policial federal morto no Rio foi homenageado pelo governo do DF no início deste mês
    Policial federal morto no Rio foi homenageado pelo governo do DF no início deste mês Polícia Federal/Divulgação

    Isabelle Salemeda CNN

    O policial federal Francisco Elionezio Braga Oliveira, morto por um PM na noite de domingo (17), no Rio de Janeiro, recebeu a “Medalha da Defesa Civil”, no último dia 6, uma homenagem do Governo do Distrito Federal por salvar uma menina de 7 anos que havia se engasgado.

    Imagens das câmeras de segurança de um restaurante no Distrito Federal mostraram a ação do policial, que conseguiu fazer a desobstrução das vias aéreas da criança.

    A menina se alimentava com a família quando engasgou e ficou desacordada. O salvamento aconteceu no dia 15 de outubro deste ano. Francisco Elionezio estava na capital federal para fazer um curso do Comando de Operações Táticas (COT). Veja:

    O agente atuava na Polícia Federal há dez anos. Ele deixou a esposa, também da PF, e três filhos, um de seis anos, um de cinco e um bebê de um mês.

    Homenagem recebida este mês pelo agente do governo do Distrito Federal / Reprodução

    Condolências

    Em nota, a a Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro confirmou a morte do agente, atualmente lotado no Grupo de Pronta Intervenção (GPI). Francisco Elionezio era conhecido como Chiquinho pelos colegas da corporação.

    O agente ingressou na PF em janeiro de 2013, na Superintendência de Roraima. Em dezembro de 2015, foi transferido ao Rio.

    “A SR/PF/RJ expressa suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados neste momento de perda e extrema dor”.

    O local e horário de sepultamento ainda não foram definidos.

    O caso

    Francisco Elionezio foi morto durante uma confusão em um quiosque na orla da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo as primeiras informações registradas na ocorrência, por volta das 19h30, uma equipe da PM parou na orla e pediu para usar o banheiro do estabelecimento. Neste momento, o segurança teria dito que havia um homem armado e alterado no local.

    Ainda segundo o relato, o PM solicitou a identificação do suspeito, que, na sequência, teria sacado a pistola, apontado para o militar e dado um tapa no rosto dele.

    Em nota, a Polícia Militar, informou que os policiais foram ameaçados e acabaram revidando. Atingido por dois tiros de fuzil, um no peito e um no pescoço, Francisco Elionezio não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

    O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), que solicitou a perícia e as imagens das câmeras corporais dos policiais para análise, além de ouvir testemunhas e os PMs envolvidos na ação. A Corregedoria da PM foi acionada e as armas dos militares e do agente federal foram apreendidas para perícia.