Policial militar é vítima de ataque racista durante palestra virtual na USP

Tenente-coronel Evanilson de Souza, que é negro, foi chamado de macaco em chat do aplicativo usado para transmissão da palestra

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um policial militar foi vítima de ataques racistas durante uma conferência virtual na terça-feira (9) no Curso de Segurança Multidimensional das Fronteiras, organizado pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP).

No chat do aplicativo usado para a transmissão das imagens, o tenente-coronel Evanilson de Souza, que é negro, foi chamado de “macaco” em uma imagem com outras ofensas raciais e sexuais.

As ofensas foram apagadas, mas voltaram a ser exibidas por participantes do curso. Em razão do ataque cibernético, a palestra do tenente-coronel foi interrompida.

Souza é membro do grupo que revista o Manual de Direitos Humanos da PM de São Paulo e foi convidado pela organização do curso para expor o programa de combate ao racismo dentro da corporação.

Tenente-coronel da PM foi alvo de racismo em palestra virtual na USP
Tenente-coronel da PM foi alvo de racismo em palestra virtual na USP
Foto: Reprodução

Em nota publicada em sua conta no Facebook, a Polícia Militar de São Paulo afirmou “repudiar veementemente os ataques com ofensas raciais e mensagens de ódio praticadas contra o Tenente Coronel PMESP Evanilson de Souza”.

“A Polícia Militar se solidariza à vítima e reforça sua posição contra toda forma de discriminação étnico-racial e na missão perene de promover os Direitos Humanos no estado. Se você for vítima de racismo ou conhecer alguém que seja, não fique calado. Disque 190 e denuncie. Racismo é crime”, diz texto.

A CNN entrou em contato com a USP sobre o caso, mas ainda não obteve retorno.

(Com informações de Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN