Projeto estimula a inclusão social e diversidade entre jovens

Iniciativa oferece 100 vagas para jovens de 14 a 18 anos

Da CNN

Ouvir notícia

No próximo dia 14 de setembro começam as aulas do projeto Escola de Impacto, iniciativa desenvolvida por instituições sociais que promovem a inclusão e a diversidade. A ideia é estimular o empreendedorismo entre jovens.

O projeto visa dar fim às diferenças sociais e pretende auxiliar no processo de construção de uma sociedade mais humana e tolerante. Ele está focado em incluir jovens com todo tipo de necessidade especial, de diferentes classes econômicas e de realidades distintas.

“A gente vai fazer isso através de um curso de formação para jovens de 14 a 18 anos, que vão conhecer novos temas, realidades diferentes, criar novos imaginários de cidadania e sair da bolha para transformar a si mesmos e o meio em que vivem”, disse Henri Zylberstajn, fundador do Projeto Serendipidade.

 

Leia também:

Em missa fora do Vaticano, Papa pede solidariedade global contra COVID-19

Governo apresenta plano para pessoas com deficiência durante a pandemia

Da CNN
Projeto estimula a inclusão social e diversidade entre jovens
Foto: Reprodução/CNN

Alunos da rede pública e particular de ensino terão acesso juntos a temas como desigualdade, inclusão, política e cultura. A ideia é criar um impacto social ao fazer encontro de realidades e vivências diferentes.

“Para nós que somos de escola pública, que somos negros, a sociedade está sempre falando: ‘não, não vai. Já foi demais'”, diz Paula Batista, jornalista e voluntária.

Os estudantes também terão palestras com mentores para que sejam desenvolvidas habilidades como a empatia, senso de liderança e o empreendedorismo entre eles.

“Um mentor, neste caso para os jovens, vai falar de suas experiências, ouvir as dúvidas dos jovens. É um papo para contar muito do que a gente passou, quais foram nossos aprendizados na prática e não apenas na teoria”, explicou Geyse Diniz, empresária e mentora do projeto. 

“Meu maior sonho é que a gente tenha uma sociedade brasileira que compreenda antes de julgar. Não cabe mais um mundo, onde uma pessoa fique de fora”, diz Carolina Videira, fundadora do projeto social Turma do Jiló.

(Edição: Leandro Nomura)

Mais Recentes da CNN