Rio prorroga restrições até 27 de abril; permanência nas praias segue proibida

Decreto mantém suspensão da permanência de pessoas nas vias, áreas e praças públicas entre 23h e 5h; bares e restaurantes seguem com horários limitados 

Thayana Araujo e Pauline Almeida, da CNN, no Rio de Janeiro  

Ouvir notícia

A prefeitura do Rio de Janeiro prorrogou as medidas restritivas contra a Covid -19 até o dia 27 de abril. Elas se aplicam ao funcionamento de atividades econômicas e permanência de pessoas nas áreas públicas. As restrições vigorariam na cidade somente até a próxima segunda-feira (19). As regras foram publicadas no Diário Oficial desta sexta-feira (16).

O funcionamento de boates, danceterias, salões de dança e casas de espetáculo segue suspenso. Permanência e atividades econômicas, como comércio ambulante e fixo, estão proibidas na areia das praias. Apenas as atividades esportivas individuais e coletivas, sem causar aglomeração, estão permitidas.

O decreto mantém a suspensão da permanência de pessoas nas vias, áreas e praças públicas da cidade entre 23h e 5h. As competições e treinamentos de modalidades esportivas de alto rendimento estão permitidas, mas vedada, em qualquer caso, a presença de público. 

Bares, lanchonetes e restaurantes podem funcionar até 21h. O funcionamento do comércio segue de 10h às 18h. Museus, bibliotecas, cinemas, teatros e parques ficam abertos de 12h às 21h. Estão permitidos também os serviços assistenciais de saúde, veterinários, comércio de materiais de construção, estabelecimentos bancários e lotéricos, as feiras livres, bancas de jornal e o comércio de combustíveis e gás. As feiras especiais, como as de artesanato, seguem fechadas.

Os estabelecimentos de hotelaria e hospedagem, com o funcionamento dos respectivos serviços de alimentação, estão condicionados às restrições previstas para bares, lanchonetes e restaurantes. Ou seja, após 21h, ficam restritos somente aos hóspedes. 

Rio de Janeiro faz 771 autuações durante fiscalização
Rio de Janeiro faz 771 autuações durante fiscalização (11 abril 2021)
Foto: Reprodução / CNN

 

O transporte de passageiros, o funcionamento de indústrias, construção civil, serviços de entrega em domicílio também seguem com autorização da prefeitura para funcionar.

Quem descumprir o decreto pode ser multado e responder pelo crime previsto no art. 268 do Código Penal Brasileiro (infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa). Se condenada, a pessoa pode pegar pena de um mês a um ano de prisão.

Mais Recentes da CNN