Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rio se prepara para o verão que promete ser um dos mais quentes

    Bombeiros, Polícia Militar, Guarda Municipal e Capitania dos Portos já começaram operações especiais para o período

    Bombeiros monitoram praias no Rio de Janeiro
    Bombeiros monitoram praias no Rio de Janeiro Ricardo Cassiano/CBMERJ

    Rafaela Cascardoda CNN

    Com o objetivo de dar mais segurança a cariocas e turistas durante a época mais quente do ano, o Corpo de Bombeiros do Rio lançou, na sexta-feira (1º), a Operação Verão 2023/2024, com simulado operacional em Copacabana, na Zona Sul. A Guarda Municipal do Rio e a Capitania dos Portos também iniciaram, recentemente, ações especiais de fiscalização das posturas municipais e das regras de navegação na Praia dos Amores, na Barra da Tijuca, Zona Oeste. Já a Polícia Militar, usa drones, desde setembro, para patrulhar as orlas.

    Os bombeiros anunciaram reforço no efetivo, com o aumento de 20% no número de guarda-vidas nas praias. Para o próximo verão, o órgão vai contar com 91 motos-aquáticas recém-adquiridas e dois sonares Side Scan para buscas subaquáticas, além de um drone que emite alertas sonoros para os banhistas em situação de risco no mar, em pedras e costões. As ações fazem parte de um investimento de mais de R$ 31 milhões feito pelo governo.

    Segundo os bombeiros, outras compras estão sendo feitas, como as de embarcações de médio porte multimissão, 43 botes infláveis de resgate, garrafas térmicas, geladeiras e outros itens que vão reforçar os postos.

    Desde o início de 2023 até agora foram mais de 24 mil salvamentos marítimos, de acordo com a corporação. O número significa um aumento de 60%, já que o mesmo período do ano passado registrou cerca de 15 mil salvamentos.

    Para evitar afogamentos, o Corpo de Bombeiros recomenda procurar sempre locais próximos aos postos de guarda-vidas; respeitar as placas e/ou bandeiras de sinalização; perguntar ao guarda-vidas qual o local mais apropriado para o banho de mar; não ingerir bebidas alcoólicas e entrar no mar; evitar entrar na água logo após se alimentar e não desviar a atenção das crianças. Vale identificá-las com nome e telefone para contato. Caso saiba e pretenda nadar, a orientação é praticar a atividade paralelamente à areia e evitar locais que são conhecidos como points de surfistas.

    Temperatura nas alturas

    O próximo verão promete ser um dos mais quentes da história do Rio, segundo especialistas. Uma das principais preocupações das autoridades cariocas é a combinação entre calor intenso e as mudanças climáticas e consequências geradas pelo fenômeno El Niño. Apesar de o verão começar em dezembro e terminar em março, a prefeitura do Rio informou que planejou ações que começaram em novembro e vão até abril de 2024. No último dia 18, a capital Fluminense bateu recorde e teve sensação térmica de 59,7ºC em Mangaratiba, na Zona Oeste. O número é o maior da série histórica do sistema Alerta Rio, que iniciou as medições em 2014.

    Região Serrana requer atenção especial

    Em Petrópolis, na Região Serrana, os Bombeiros e a Defesa Civil realizaram, nesta semana, simulado para resposta a desastres naturais. A ação, que incluiu técnicas avançadas e equipamentos de considerados de ponta, faz parte da preparação para as chuvas de verão. Em 2022, a cidade viveu a maior tragédia climática da história, com mais de 230 mortes em decorrência de problemas causados por temporais.

    Segurança

    Segundo a PM do Rio, toda a região conta com a Operação Verão, sendo o patrulhamento aplicado nas vias com viaturas e motocicletas. Policiais em quadriciclos circulam na faixa de areia e tendas são utilizadas como pontos de apoio aos agentes e referência para a população