Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Risco de novos deslizamentos em Pernambuco preocupa a Defesa Civil, diz secretário

    À CNN Rádio, o tenente-coronel Leonardo Rodrigues afirmou que a situação mais preocupante é na divisa de Jaboatão com o Recife, onde uma operação tenta resgatar ao menos 9 corpos

    Ao menos 84 pessoas morreram em decorrência das chuvas em Pernambuco desde quarta-feira da semana passada
    Ao menos 84 pessoas morreram em decorrência das chuvas em Pernambuco desde quarta-feira da semana passada Divulgação/Exército Brasileiro

    Amanda GarciaAlessandra Ferreirada CNN

    São Paulo

    O tenente-coronel Leonardo Rodrigues, que é o secretário executivo da Defesa Civil de Pernambuco, afirmou que “todas as atenções estão voltadas para busca e salvamento” de pessoas atingidas pelas chuvas.

    Desde sexta-feira, foram 79 mortes devido às fortes enchentes em Pernambuco – já são 84 vítimas quando se contabiliza a partir de quarta-feira da semana passada.

    Em entrevista à CNN Rádio, o tenente disse que choveu 40 milímetros nas últimas 24 horas, o que é pouco, “mas no acumulado da semana representa risco para as atividades de busca e salvamento”.

    “Hoje todo o litoral do nordeste se encontra no volume alto de chuvas, a faixa litorânea tem risco moderado a forte para deslizamento, é o que traz mais preocupação no momento”, alertou.

    A pior situação é na divisa de Jaboatão com o Recife, denominada Vale do Monte Verde. “É lá que se tem o maior número de mortes, forças estão concentradas para ação de buscas, temos uma operação com os bombeiros para resgatar 9 corpos.”

    “A população precisa compreender que quando a Defesa Civil emite alerta, elas precisam colaborar para se auto proteger, a situação requer esse cuidado, a população quer retornar aos locais, mas a recomendação é para que não faça isso”, recomendou o secretário.

    De acordo com o tenente-coronel, a região metropolitana do Recife tem “uma vulnerabilidade muito alta”, já que é constituída por morros. “Mais de 500 mil pessoas da região metropolitana se tornam vulneráveis nas bordas dessa área de morros.”

    “Nunca a gente registrou uma quantidade de mortos com esse impacto, para ter ideia, municípios tiveram precipitações acima de 300 milímetros em menos de 24 horas”, completou.