RJ: 8.500 pessoas tiveram que sair de casa por causa da chuva dos últimos dias

Defesa Civil Estadual contabiliza 700 desabrigados e 7.800 desalojados; Corpo de Bombeiros realizou mais de 360 atendimentos desde sábado

As chuvas causaram estragos no estado do Rio de Janeiro. Nas cidades de Natividade e Itaperuna, as principais vias ficaram alagadas.
As chuvas causaram estragos no estado do Rio de Janeiro. Nas cidades de Natividade e Itaperuna, as principais vias ficaram alagadas. Divulgação/Prefeitura e Defesa Civil

Isabelle SalemeRafaella Balieiroda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Subiu para 8.500 o número de pessoas que tiveram que deixar as casas no estado do Rio de Janeiro. De acordo com a Defesa Civil Estadual, 700 estão desabrigados e 7.800, desalojados. De sábado para cá, o Corpo de Bombeiros realizou mais de 360 atendimentos.

Seis municípios decretaram Situação de Emergência: Bom Jesus do Itabapoana, Natividade, Trajano de Moraes, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto e Cachoeiras de Macacu. O reconhecimento da condição de vulnerabilidade é condição para que os municípios possam solicitar ajuda financeira emergencial do Governo Federal.

Desde o fim de semana, as áreas mais afetadas pela chuva são a Região Serrana, Norte e Noroeste do estado. Os maiores acumulados de chuva nas últimas 24 horas foram nas estações em Duque de Caxias e São Gonçalo, com 60,8mm e 52,8mm respectivamente.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, as rajadas de vento atingiram 66,6 km/h na Pico do Couto Petrópolis e 49,7km/h na estação Rio Claro.

A Defesa Civil Estadual e o Corpo de Bombeiros seguem mobilizados, para prevenir e minimizar danos causados. Todas as regiões do estado registraram áreas de inundações, deslizamentos, alagamentos e quedas de árvores.

Apesar de as áreas de instabilidade terem perdido força, para as próximas horas, há previsão de chuva fraca a moderada isolada durante a manhã e pancadas de chuva moderada a ocasionalmente forte, de forma isolada, a partir da tarde, em todas as regiões do estado. Com isso, a possibilidade de deslizamentos permanece de moderada a muito alta.

Mais Recentes da CNN