Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rosa Weber cobra esclarecimento e reparação sobre assassinato de líder quilombola

    Mãe Bernadete, como era conhecida, liderava a comunidade quilombola Pitanga dos Palmares, em Simões Filho (BA), e foi morta a tiros na noite de quinta-feira (17)

    Lucas Mendesda CNN

    em Brasília

    A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Rosa Weber, cobrou providências para o “urgente esclarecimento e reparação” do assassinato da líder quilombola Maria Bernadete Pacífico, morta a tiros na noite de quinta-feira (17).

    “As autoridades locais devem adotar providências para o urgente esclarecimento e reparação do acontecido, a fim de que sejam responsabilizados aqueles que patrocinaram o covarde enredo e imediatamente protegidos os familiares de Mãe Bernadete e outras lideranças locais”, disse Weber, em nota.

    Mãe Bernadete, como era conhecida, liderava a comunidade quilombola Pitanga dos Palmares, em Simões Filho (BA), e atuava como coordenadora nacional da Conaq (Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos).

    Ela havia se reunido com Rosa Weber em julho deste ano no Quilombo Quingoma, em Lauro de Freitas (BA).

    Na ocasião, Bernadete conversou com a presidente do STF sobre a violência a que os quilombolas estão expostos e também sobre a morte de seu filho, Flávio Gabriel Pacífico dos Santos, executado com 14 tiros há seis anos.

    “É absolutamente estarrecedor que os quilombolas, cujos antepassados lutaram com todas as forças e perderam as vidas para fugir da escravidão, ainda hoje vivam em situação de extrema vulnerabilidade em suas terras”, disse Weber. “Assim como é direito de todos os brasileiros, os quilombolas precisam viver em paz e ter seus direitos individuais respeitados”.

    Em nota, a Conaq manifestou pesar pela perda “de uma mulher tão sábia e de uma verdadeira liderança”.

    “Sua partida prematura é uma perda irreparável não apenas para a comunidade quilombola, mas para todo o movimento de defesa dos direitos humanos”, afirmou a entidade.

    “A Conaq exige que o Estado brasileiro tome medidas imediatas para a proteção das lideranças do Quilombo de Pitanga de Palmares. É dever do Estado garantir que haja uma investigação célere e eficaz e que os responsáveis pelos crimes que têm vitimado as lideranças desse Quilombo sejam devidamente responsabilizados.”

    A Polícia Federal (PF) da Bahia disse que instaurou inquérito para apurar o assassinato.