São Paulo permanece com chuva forte e risco de deslizamentos nesta segunda

De acordo com a Climatempo, ainda há condição de temporais severos no centro-oeste e noroeste do estado, além da região metropolitana da capital e o Vale do Paraíba

Léo Lopesda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Após um final de semana de chuvas intensas no estado de São Paulo, que deixaram ao menos 19 mortos em todo o estado, a capital paulista amanheceu com áreas de instabilidade de fraca até moderada intensidade nesta segunda-feira (31).

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, o tempo instável deve persistir ao longo do dia e ganhar força entre a tarde e a noite. Os termômetros devem variar na cidade entre 18 ºC e 24ºC.

O CGE espera que o sol volte a aparecer no decorrer desta terça-feira (1), o que deve aumentar as temperaturas em parte do dia e aliviar o efeito das chuvas. “Entretanto, as chuvas devem retornar para a capital paulista na forma de pancadas entre o final da tarde e o início da noite”, disse o CGE.

A meteorologista Josélia Pegorim, da Climatempo, destaca que todo o estado de São Paulo está sujeito a chuva volumosa nesta segunda (31), com possibilidade para mais transtornos.

A previsão da Climatempo vai ao encontro do CGE, apontando que as áreas instáveis devem diminuir nesta terça-feira (1), porém, como o solo já está encharcado, o risco de deslizamento e alagamentos permanecerão altos.

As fortes chuvas que atingiram o estado são explicadas por uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) – umidade que vem do Norte do país convergindo com uma frente fria estacionária no litoral paulista.

A Climatempo informou que a atuação da ZCAS sobre São Paulo provocou, entre sábado (29) e domingo (30), de 80 mm a 170 mm pelas áreas centro e leste do estado.

“O acumulado de 4 dias (de 26 a 30 de janeiro) ficou muito próximo (ou até superou) da média histórica de chuva, que varia de 250 mm a 300 mm para a maioria das áreas do estado de São Paulo, considerando cálculos do Inmet para o período de 1981 a 2010”, informou a Climatempo.

Por exemplo, na capital paulista, na estação meteorológica do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) de Mirante de Santana, na zona norte da cidade, choveu 308mm ao longo de janeiro. Quase metade, 144,2 mm, aconteceu entre os dias 26 e 30 do mês.

“Não se descarta a possibilidade de novos danos no início desta semana. Ainda há condição para chuva severa em todo o centro-norte e noroeste de São Paulo, Vale do Paraíba, Grande São Paulo, sul de Minas Gerais, triângulo mineiro, nordeste de Mato Grosso do Sul e extremo sudeste de Goiás”, informou a Climatempo.

Previsão para o Brasil

Segundo a Climatempo, nesta segunda-feira (31), o tempo fica firme no sul, sudoeste e oeste do Rio Grande do Sul. A chuva deve ser rápida e alternar com períodos ensolarados no leste de Santa Catarina.

A chuva perde força, mas ainda acontece ao longo do dia na região norte do Paraná. Demais áreas da região Sul devem ter chuva em forma de pancadas isoladas.

A ZCAS provoca períodos de chuva frequente em São Paulo e sul de Minas Gerais, com potencial para temporais. Chuvas isoladas com trovoadas podem acontecer no Rio de Janeiro, Espírito Santo e demais áreas de Minas Gerais.

Ainda sob influência da ZCAS, o tempo deve permanecer instável no Mato Grosso, sul de Goiás e norte de Mato Grosso do Sul. Demais áreas da região Centro-Oeste devem ter chuvas em pancadas isoladas.

Para o Nordeste, a faixa leste – entre os estados do Rio Grande do Norte e Sergipe – devem ter sol predominante com chuva rápida. O norte do Maranhão deve ter chuva de forma isolada, mas com maior intensidade.

“No norte do Brasil chove em vários momentos do dia no litoral do Amapá e sul de Rondônia, onde tem potencial para temporais”, complementa a Climatempo.

A maior parte do Norte deve ter tempo instável, com tempo firme apenas em RR, no norte e no sul do Amazonas.

Mais Recentes da CNN