São Paulo tem outubro com mais queimadas desde 1998

Apenas nos primeiros 11 dias do mês, o total acumulado é 470% maior do que o registrado no mesmo período de 2019, quando São Paulo teve 158

Fumaça e chamas de queimada no Pantanal: São Paulo também sofre com o aumento do número de focos de incêndio
Fumaça e chamas de queimada no Pantanal: São Paulo também sofre com o aumento do número de focos de incêndio Foto: Amanda Perobelli - 03.set.2020 / Reuters

Giovanna Bronze,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O estado de São Paulo registrou, até o dia 11 de outubro, 5.899 focos de incêndio. Esse é o segundo maior número acumulado de queimadas para o estado, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Até então, o pior ano era 2010, que registrou 7.292 pontos de calor.

Apenas em outubro, São Paulo teve 901 focos de incêndio detectados pelos satélites do Inpe. O número é o pior já registrado desde 1998, quando o instituto começou a monitorar as queimadas no Brasil.

Leia também:
Amazônia Legal já teve mais queimadas em 2020 que em todo ano de 2019
Papa Francisco manifesta preocupação com queimadas no Pantanal e nos EUA

Mesmo que o mês ainda não tenha acabado, já é o maior acumulado para outubro quando comparado com os totais dos anos anteriores. O pior outubro registrado anteriormente foi em 2014, quando São Paulo contabilizou 852 focos de incêndio. 2020 apresenta aumento de 5,75% em relação ao maior total mensal já registrado.

Apenas nos primeiros 11 dias do mês, o total acumulado é 470% maior do que o registrado no mesmo período de 2019, quando São Paulo teve 158. 

No entanto, outubro não é o único mês do ano a quebrar recordes de queimadas no estado paulista neste ano. Em setembro, São Paulo teve 2.254 focos de incêndio – maior já registrado para o mês.

Caso o estado contabilize mais 1.394 focos de incêndio ainda neste ano, São Paulo ultrapassará o total de 2010 e terá o ano com mais queimadas na história do monitoramento do Inpe. 

Mais Recentes da CNN