Secretário responde a dúvidas sobre ‘retomada consciente’ em SP

Marco Vinholi explica o que poderá funcionar em SP

Da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a “retomada consciente” das atividades no estado após uma sequência de renovações do isolamento que busca prevenir o contágio pelo novo coronavírus. O abrandamento da quarentena começará em 1º de junho, quando estabelecimentos comerciais poderão reabrir, com restrições, em boa parte do estado — incluindo a capital. O anúncio foi feito durante a coletiva de imprensa na quarta-feira (27), no Palácio dos Bandeirantes.

Como antecipou a CNN, o estado de São Paulo foi dividido em 20 regiões, que foram classificadas por cores: azul, verde, amarelo, laranja e vermelha; cada uma representando uma fase de flexibilização. Para que uma região possa evoluir de estágio – permitindo a abertura de novos setores – será necessário atender uma série de critérios técnicos, a exemplo da ampliação de testagens e fundamentação cientifíca com dados sobre o cenário município na pandemia. 

Leia também:

Veja como vai funcionar flexibilização da quarentena no estado de São Paulo
MG deve dobrar número de casos confirmados de Covid-19 nos próximos dias

À CNN, o deputado Marco Vinholi (PSDB), secretário de Desenvolvimento Regional do estado de SP, respondeu a dúvidas sobre as fases de reabertura do comércio e enfatizou que ‘se a saúde e a ciência notarem alterações no índices, a medida será recuada’. O político afirmou ainda que o retorno será feito de forma gradual e com diálogo entre autoridades da saúde e prefeitos.

A capital paulista foi classificada como em fase de controle (laranja), ou seja, município que está em fase de atenção para eventuais liberações. Sendo assim, é permitido reabrir, com restrições, a partir do dia 1º de junho, as atividades imobiliárias, escritórios, concessionárias, comércio e shopping center – exceto as praças de alimentação, que funcionarão apenas com pedidos para viagem.

Segundo o secretário, a reabertura de cada setor, obedecendo aos critérios adotados pelo estado, caberá a cada prefeito, que deve fundamentar a decisão.

“Para os escritórios, foram montados protocolos para o funcionamento e, a partir deles, a gestão dos municípios trabalharão na fiscalização e em regras municipais para que funcionem”, explicou Vinholi.

A quarentena permanecerá no atual nível de restrição nos municípios da Grande São Paulo, Baixada Santista, litoral sul e Vale do Ribeira. O estado considera que essas regiões estão na fase 1 (vermelha), de controle mais restrito, que permite apenas abertura da indústria e construção civil. As medidas para os setores de educação e transporte, em cada uma das fases, ainda serão definidas.

De acordo com o plano de reabertura, a indústria e a construção civil seguem funcionando normalmente nos 645 municípios do estado. A interdição total de espaços públicos, teatros, cinemas e eventos que geram aglomerações – festas, shows, campeonatos etc – permanece por tempo indeterminado. A retomada de aulas presenciais no setor de educação e o retorno da capacidade total das frotas de transportes seguem sem previsão.

Fases reabertura em SP
As fases de reabertura da quarentena no estado de São Paulo
Foto: Reprodução
 
 
 
O ‘novo normal’
 
 
Em entrevista concedida à CNN, na noite de quarta-feira (27), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reforçou que a liberação das atividades comerciais vai ser de acordo com os setores e a forma como cada região lida com a pandemia de coronavírus. Em especial, ele detalhou o funcionamento dos shoppings a partir de 1º de junho na capital paulista.
 
Questionado se os salões de beleza localizados em um shopping poderiam reabrir, Doria afirmou que, no momento, isso não seria possível. “Não pode. Assim como a academia de ginástica não pode abrir, assim como a praça de alimentação não pode abrir. Não é fato de estar no shopping que terá liberação plena. A liberação será por setores”, afirma.
 
Em se tratando da reabertura das escolas, Doria afirmou que ainda não é hora de retomar as atividades nas salas de aula. Na entrevista, o governador disse que haverá uma coletiva da Secretaria de Educação para tratar deste assunto na próxima semana. 

 

Mais Recentes da CNN