Sete policiais militares são afastados após espancarem jovens no ABC paulista

Imagens obtidas pela CNN mostram o momento das agressões cometidas pelos policiais contra homens e uma mulher da mesma família

Agressão de PM a mulher
Agressão de PM a mulher Reprodução

Marcos Guedesda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Sete policiais militares do 10º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano do Estado de São Paulo foram afastados das ruas após espancarem pelo menos três pessoas na madrugada desta sexta-feira (27) em uma abordagem ocorrida no bairro Vila Sacadura Cabral, em Santo André, no ABC Paulista.

Imagens obtidas pela CNN (assista ao vídeo abaixo) mostram o momento das agressões cometidas pelos policiais contra homens e uma mulher da mesma família. Em pelo menos dois momentos, eles cercam as pessoas e desferem vários socos e chutes, chegando a derrubar as vítimas no chão. Uma arma de choque também foi usada na ação.

Segundo uma das vítimas agredidas pelos policiais, a comerciante Sabrina Camilo, de 21 anos, o irmão dela, Igor Camilo, de 19 anos, tinha acabado de chegar em casa e estava mandando uma mensagem pelo celular para que o portão fosse aberto. “Nesse momento, eu passei a ouvir uma gritaria e saí para ver o que estava acontecendo”, conta.

A jovem também relata que ao sair de casa e ver a confusão, tentou ajudar o irmão que já estava cercado e sendo agredido pelos militares. As imagens mostram que quando ela se aproximou, foi derrubada com uma rasteira por um dos policiais.

Na sequência das imagens, o irmão mais velho de Sabrina tenta interceder pedindo calma, mas é agredido pelo mesmo policial com um soco no rosto. Vizinhos que acompanham tudo de longe chegam a se espantar com o barulho do golpe. O PM ainda acerta mais um soco no rosto da jovem quando ela se levanta e tenta entrar em casa. Ela foi seguida pelo militar que chega a entrar no imóvel.

“Eu estava apanhando muito. Eles só pararam quando chegou outra viatura.” relatou a jovem que foi encaminhada para o exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal, nesta tarde, após prestar depoimento no 4° Distrito Policial de Santo André.

O irmão de Sabrina, Igor, chegou a ser colocado na viatura pelos policiais para ser socorrido. Ele teria relatado à irmã que foi ameaçado pelos policiais. “Eles disseram pro meu irmão que iam matá-lo e jogar o corpo em um riacho.”, conta.

Consultada pela reportagem, a Polícia Militar informou que os agentes de segurança foram desacatados durante uma abordagem e que houve necessidade de uso de arma de choque para conter a situação. Um inquérito policial militar foi instaurado e os policiais militares envolvidos seguirão afastados da atividade policial até o final das investigações (veja íntegra da nota abaixo).

Para Arnóbio Rocha, Coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB São Paulo, os policiais cometeram os crimes de abuso de autoridade e lesão corporal. “Nesse caso específico, houve abuso de autoridade e lesão corporal, que dependendo do nível pode ser classificada como grave ou não qualificada.”

Sobre a forma como aconteceram as agressões, o advogado entende que “falta um protocolo claro que determine as ações policiais dentro de um padrão de legalidade e dentro do respeito aos direitos da dignidade da pessoa humana”.

A ouvidoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo informou que já oficiou a corregedoria da PM para que as providências legais sejam tomadas. Nos próximos dias, o ouvidor irá ouvir as vítimas. Somente em 2021, foram registrados 69 casos de apuração sobre possíveis agressões praticadas por policiais militares em serviço.

Leia a íntegra da nota da PM:

“A Polícia Militar, em nome da transparência, torna pública as imagens de uma ocorrência policial da madrugada desta sexta-feira, 27, na cidade de Santo André, região do Grande ABC, envolvendo policiais do 10º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano. Um Inquérito Policial-Militar foi prontamente instaurado e os policiais militares e os civis envolvidos prestam depoimento na Corregedoria da Polícia Militar, que diante dos fatos avocou a apuração.
Segundo registros da ocorrência, os policiais foram realizar uma abordagem a um indíviduo que estava na Rua Recife, no bairro Sacadura Cabral. Durante a ação, familiares do homem passaram a desacatar os policiais. Os agentes utilizaram arma de incapacitação neuromuscular (AIN) para conter o indivíduo. No tumulto, policiais militares e civis foram feridos. Em seguida, todos foram socorridos ao Pronto Socorro e o caso foi encaminhado ao 1º Distrito Policial de Santo André.
O caso também foi encaminhado ao Plantão de Polícia Judiciária Militar e, durante o registro do caso, imagens da ocorrência foram apresentadas pelos familiares. Diante do material que foi analisado, o comando local decidiu pela instauração de Inquérito Policial-Militar e os agentes foram conduzidos para a sede da Corregedoria. Os envolvidos seguirão afastados da atividade policial até o final das investigações.
A Polícia Militar possui um forte sistema de controle e fiscalização para fornecer à sociedade total transparência de seus atos e não mede esforços para investigar e, se necessário, “cortar na carne”, punindo os culpados com o máximo rigor da Lei.”

 

Mais Recentes da CNN