Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Sobe para 91 o número de mortes causadas pelas chuvas em Pernambuco

    Autoridades buscam por 25 desaparecidos; de acordo com a Defesa Civil, mais de cinco mil estão desabrigados e chuvas devem persistir até sexta-feira (3)

    Carolina FigueiredoLéo Lopesda CNN

    em São Paulo

    Nesta segunda-feira (30), subiu para 91 o número de mortes provocadas pelas fortes chuvas que atingem o estado de Pernambuco nos últimos dias. Durante a tarde, o Corpo de Bombeiros localizou um corpo na Comunidade do Areeiro, em Camaragibe.

    De acordo com a Defesa Civil nacional, as autoridades buscam por 25 desaparecidos. 

    Além disso, a Defesa Civil reiterou o alerta de alto risco de deslizamento nas áreas mais afetadas, e informou que 6.170 pessoas estão desabrigadas, alocadas em pontos de apoio.

    “Apesar da redução no volume, as precipitações devem continuar, com intensidade moderada, até a próxima sexta-feira (3)”, informou a Defesa Civil, com base nas informações da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

    As autoridades estão atuando em sete pontos de deslizamento no Grande Recife: Zumbi do Pacheco e Curado IV (Jaboatão dos Guararapes); Areeiro (Camaragibe); Monte Verde/Ibura, Barro e Guabiraba (Recife) e Paratibe (Paulista).

    Segundo a Defesa Civil, os maiores acumulados de chuvas nas últimas 24 horas foram registrados em Olinda (60 mm), Paulista (57 mm), Itapissuma (53 mm) e Recife (52 mm).

    “A situação dos rios, porém, permanece estável. O nível de acúmulo nos pontos monitorados, sobre os quais foram emitidos avisos de alerta ou inundação já desceram ou estabilizaram, não havendo mais necessidade de aviso hidrológico”, acrescentou a Defesa Civil, em nota.

    “Estamos trabalhando com força total, mobilizando os recursos disponíveis, buscando profissionais de vários estados do Brasil com especialidade em resgate em áreas de deslizamentos, além de suporte às áreas atingidas por terra, água e ar”, disse o secretário de Defesa Social, Humberto Freire.