Técnica em enfermagem, acusada de erro em vacinação infantil, diz que nunca fez curso para vacinar contra Covid-19

Caso ocorreu em Lucena, na Paraíba; profissional disse que recebeu ordem de vacinar a todos que estavam na fila e que não sabia que não poderia imunizar crianças com doses de adultos

Basília Rodriguesda CNN

Brasília

Ouvir notícia

A técnica de enfermagem acusada de aplicar vacinas vencidas e de adulto em crianças na Paraíba afirmou, em depoimento ao Ministério Público Federal, que não sabia que não poderia usar vacinas adultas em crianças e argumentou não ter recebido treinamento.

A mulher, de 37 anos, contou que é técnica em enfermagem desde 2008 e trabalhava na Unidade Básica de Saúde (UBS), em Lucena, desde novembro do ano passado.

Na tarde deste domingo (16), ela prestou depoimento ao MPF da Paraíba, por meio de sessão remota. De acordo com o depoimento, a que a CNN teve acesso, a funcionária disse que nunca fez treinamento para vacinar tanto crianças quanto adultos contra Covid-19. Segundo a mulher, ela não assistiu a um curso online porque estaria cuidando da mãe hospitalizada. Ela confirmou que utilizou a mesma dosagem de vacinas adultas em menores de idade.

De acordo com a técnica em enfermagem, a orientação era vacinar todas as pessoas que fossem aos postos porque as vacinas iriam vencer. Ela afirmou que não sabia, no entanto, que os frascos já estavam fora do prazo de validade. Durante todo depoimento, a funcionária demonstra falhas na comunicação entre ela e a secretaria de saúde local. O contato seria feito pelo celular com uma enfermeira ligada à prefeitura, que lhe passava orientações, em caso de dúvidas. No dia 7 de janeiro, de acordo com a depoente, muitas pessoas buscaram o posto. Ela teria enviado mensagem à enfermeira perguntando se “poderia vacinar todo mundo” e, pelo WhatsApp, a resposta foi “sim”.

A técnica tinha como função apenas vacinar as pessoas, era a única responsável pela vacinação no posto, onde trabalhavam também um motorista e uma agente comunitária de saúde, que preencheu os dados das crianças. A agente teria levado o próprio filho de 5 anos para vacinação.

O MPF da Paraíba irá ouvir outros funcionários da prefeitura de Lucena e da secretaria de saúde do município nesta semana.

A técnica foi afastada do cargo. As crianças tiveram reações leves como febre e dor no local da injeção, mas passam bem.

Mais Recentes da CNN