Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Temporal deixa um morto e causa danos em 29 cidades no Rio Grande do Sul

    O óbito foi registrado em Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre

    Bruno LaforéStêvão Limanada CNN

    Uma pessoa morreu em decorrência das fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul desde a noite desta terça-feira (16). Em Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre um homem foi morto após a queda de uma marquise, segundo a Defesa Civil do estado, que também contabilizou 10 feridos e 15 desalojados por causa do temporal.

    De acordo com a Prefeitura de Cachoeirinha, a vítima fatal é uma pessoa em situação de rua que não aceitou acolhida em abrigo da cidade. A gestão municipal já contabilizou 600 imóveis destelhados, além de 100 automóveis danificados e cerca de 200 árvores derrubadas durante o temporal.

    Segundo a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, até a manhã de hoje (17), 25 cidades gaúchas, incluindo a capital, registraram estragos consequentes do temporal, com fortes ventos, granizo e descargas elétricas.

    Ao todo, 750 pessoas foram afetadas pelas chuvas em todo o Rio Grande do Sul. Até o momento, o estado possui

    A Defesa Civil emitiu alertas parta novas chuvas intensas que podem acometer o estado ainda hoje.

    O órgão prevê ventania, descargas elétricas e possível queda de granizo até as 10h de hoje.

    Alagamentos, cheias em córregos e inundações em regiões ribeirinhas também podem ocorrer até as 14h na capital e no nordeste do estado, em cidades como Novo Hamburgo e Caxias do Sul.

    Defesa Civil orienta a população que vive em áreas com histórico de alagamentos a procurar autoridades municipais para receber orientações a respeito do plano de contingência local.

    Temporal de terça

    Todas as equipes da Defesa Civil de Porto Alegre foram acionadas depois de uma forte chuva atingir a capital gaúcha na noite de terça-feira.

    Árvores foram derrubadas pela força do vento, hospitais ficaram inundados, ruas foram interditadas, o abastecimento de água foi afetado e os bombeiros tiveram que atuar para ajudar a resgatar pessoas ilhadas.

    Segundo a MetSul Meteorologia, até a meia noite desta quarta-feira, alguns bairros tiveram chuvas de 75 milímetros. A média histórica para todo o mês de janeiro é de 120 milímetros.

    Já a Climatempo aponta ventos de 107 km/h na base aérea de Canoas, e de 89 km/h no aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre por volta das dez da noite da terça.