Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ‘Ter 89% de taxa de ocupação em SP é um sinal de alerta’, diz secretário

    Eduardo Ribeiro avaliou o cenário dos leitos em UTIs no estado

    Ouvir notícia

    Com 89% dos leitos de Unidades de Terapia Intesiva (UTI) já ocupados, o estado de São Paulo está em sinal de alerta, explicou à CNN o secretário-executivo da Saúde, Eduardo Ribeiro. Entretanto, segundo ele, o governo está trabalhando na ampliação de leitos na capital e na construção de mais um hospital de campanha para desafogar o atendimento das demais unidades de saúde no combate ao novo coronavírus.

    “Nós fazemos um acompanhamento rotineiro da evolução do novo coronavírus. Hoje temos 89% de ocupação de leitos na capital, no restante do estado é cerca de 70%. Mas o governo segue acompanhando isso diariamente e sempre buscando novas alternativas para ir implementando o maior número de leitos”, explica.

    Leia também:

    SP pede 100 respiradores ao Ministério da Saúde; Uip fala em ‘curva ascendente’
    Projeto começa a mapear população infectada por coronavírus na cidade de SP
    Empresa de ônibus que deixar passageiro embarcar sem máscara será multada em SP

    Questionado sobre a queda na taxa de isolamento social para 47%, o secretário ponderou. “O governo vem trabalhando duro para que a gente não chegue nesta situação de colapso. É importante ressaltar o quanto a população de São Paulo vem se dedicando ao confinamento. Temos outras iniciativas de ampliações ainda maior de acordo com a necessidade. Ter 89% de taxa elevada de ocupação, é um sinal de alerta, é uma taxa elevada de ocupação. Mas estamos ampliando as medidas com novos leitos e respiradores”.

    Testes rápidos

    A partir de 15 de maio, o governo de São Paulo vai iniciar a aplicação de testes rápidos para identificação de novo coronavírus mesmo para as pessoas assintomáticas, que não desenvolveram sintomas da doença. Esse exame rápido identifica os anticorpos do vírus no sangue.

    A ideia é testar pessoas que tiveram contato com os pacientes com diagnóstico positivo para a COVID-19, mas que permaneceram assintomáticos por mais de 14 dias. O teste rápido identifica, em cerca de 15 minutos, a presença de anticorpos do vírus no sangue das pessoas. Para aqueles pacientes com os sintomas, mesmo leves, será indicado o exame de RT-PCR, que é aplicado na fase aguda da doença.

    (Com Agência Brasil)

    Mais Recentes da CNN