Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tricampeão mundial de jiu-jitsu é preso em SP suspeito de estupro e roubos em MS

    Erberth Santos foi detido pela polícia com André Pessoa, também lutador da modalidade, na cidade de Boituva após fugirem para o estado paulista

    Reberth Santos, tricampeão mundial de Jiu-Jitsu, acusado de estupro e roubo
    Reberth Santos, tricampeão mundial de Jiu-Jitsu, acusado de estupro e roubo Reprodução/Facebook

    Dayres Vitoriada CNN

    em São Paulo

    A Polícia Militar de São Paulo prendeu, na noite de quinta-feira (24), na cidade de Boituva (SP), Erberth Santos, tricampeão mundial de jiu-jitsu de 31 anos, e o também lutador André Pessoa, de 29 anos, por suspeita de terem cometido crimes de estupro e roubo em Mato Grosso do Sul.

    Segundo a delegada Letícia Mobis, da Delegacia de Atendimento à Mulher de Três Lagoas (MS), os suspeitos teriam solicitado contato com algumas garotas de programa e marcado um encontro na quarta-feira (23), em Três Lagoas.

    Ao comparecerem ao local onde as vítimas trabalhavam, eles teriam anunciado o assalto.

    Veja também — Estupros batem recorde no Brasil: um caso é registrado a cada 7 minutos

    Os lutadores teriam utilizado uma faca e uma arma de fogo para ameaçar as seis mulheres que estavam na residência. Um dos indivíduos teria obrigado uma delas a manter relações sexuais com ele após o anúncio do roubo.

    Depois do crime, eles teriam trancado as vítimas num dos quartos do local e fugido para São Paulo. Os indivíduos teriam levado quatro celulares e aproximadamente R$ 1.500 em espécie das mulheres.

    A dupla de lutadores foi detida em um pedágio em Boituva (SP), na região metropolitana de Sorocaba (SP). De acordo com a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, foram apreendidos com eles R$ 3.230, 26 aparelhos celulares e uma faca.

    Segundo a delegada Letícia Mobis, os suspeitos teriam cometido outros crimes, entre eles mais dois roubos e um número ainda não confirmado de estupros em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.

    A Delegacia de Atendimento à Mulher de Três Lagoas ouviu as vítimas, que fizeram o reconhecimento dos agressores por meio de fotos. Coletas de provas no local do crime e levantamento de digitais também foram realizadas por agentes da unidade para investigação do caso e continuação do inquérito.

    A unidade solicitou a prisão preventiva dos indivíduos e aguarda decisão. Por ora, eles permanecem detidos na Delegacia de Polícia Civil de Boituva.

    A CNN tentou contato com a defesa dos suspeitos, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto.

    *Sob supervisão de Vital Neto, da CNN