Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Uerj planeja criação de centro exclusivo para estudos sobre a Baía de Guanabara

    A ideia do projeto é restaurar o ecossistema do local; iniciativa conta com o apoio da Fiocruz e UFRJ

    Foto: REUTERS/Pilar Olivares

    Lucas Janoneda CNN

    no Rio de janeiro

    Um dos pontos turísticos mais importantes da cidade do Rio de Janeiro, a Baía de Guanabara, deve ganhar um centro universitário próprio, a “Universidade do Mar”, com o intuito de preservar e recuperar a biodiversidade. A ideia é que os estudos sejam conduzidos em dois campus instalados na ilha de Paquetá e de Brocoió, que fica dentro da Baía.

    As informações foram divulgadas, nesta sexta-feira (20), durante uma reunião organizada pelo Grupo de Apoio à Mobilização, associação responsável pelo desenvolvimento do projeto “A Universidade do Mar da Baía de Guanabara no contexto da Década do Oceano ONU (2021 – 2030)”.

    A parceria foi firmada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ) entre outras instituições.

    O diretor da faculdade de Oceanografia da Uerj, Marcos Bastos, explicou que a restauração da fauna e flora do local é o principal objetivo do projeto. O professor disse ainda que a implementação da Universidade na Baía de Guanabara segue o que foi proposto pela Agenda da Organização das Nações Unidas (ONU), que determina medidas de desenvolvimento social até 2030.

    “O projeto quer gerar um desenvolvimento regional, produzir a inclusão social, realizar atividades de pesquisa científica e, também, conservar a biodiversidade marinha e a recuperação dos ecossistemas”, esclareceu Marcos Bastos.

    Segundo o pesquisador, a Universidade do Mar vai buscar recursos por meio de parcerias públicas e privadas, além de financiamento de organismos internacionais. A cooperação com órgãos governamentais também é estudada.